Internacional Com números em queda, França prorroga estado de emergência

Com números em queda, França prorroga estado de emergência

País contabiliza 26.310 vítimas de covid-19, mas autoridades sanitárias informam que diminuiu o número de novas internações em UTIs

  • Internacional | Da EFE

França registras 80 novas mortes por covid-19 em um dia

França registras 80 novas mortes por covid-19 em um dia

EFE/EPA/FRANCOIS MORI / POOL MAXPPP OUT

A Assembleia Nacional aprovou neste sábado (9) a prorrogação do estado de emergência sanitária na França até 10 de julho, depois que senadores e deputados chegaram a acordo sobre os pontos mais controversos do texto, num dia em que o país teve 80 novas mortes por coronavírus.

O Congresso, controlado pela oposição, já deu sinal verde para o projeto de lei que permite a prorrogação do estado de emergência por mais dois meses para lidar com a epidemia de covid-19, que já fez 26.310 vítimas no país europeu. Hoje veio o ok da Assembleia Nacional, nas mãos da situação.

Na Câmara Baixa, o texto foi aprovado com 252 votos a favor, incluindo o partido no poder, os conservadores e outros grupos independentes. Houve 87 votos contra, quase todos eles de deputados da esquerda.

O Senado havia mostrado anteriormente, esta semana, o seu desacordo geral com as disposições fundamentais, principalmente a responsabilidade criminal dos funcionários públicos e empresários por qualquer contágio que possa ocorrer durante a saída gradual do confinamento, o que foi visto pela oposição como uma forma de o governo dar de ombros para o assunto.

As comissões que estudam o projeto de lei em ambas as câmaras concordaram neste sábado em modificar esse ponto, que agora leva em conta as circunstâncias e ferramentas disponíveis para os conselheiros quando se trata de implementar a reabertura.

Outra das questões essenciais, o uso de tecnologias digitais para monitorar pacientes, que também tinha sido vetado pelo Senado esta semana, agora é alterado. Em vez de um aplicativo, será baseado em arquivos médicos que podem ser mantidos por apenas três meses.

O texto também prevê a possibilidade de colocar em quarentena pessoas que cheguem de outros países, mas haverá uma análise caso a caso.

Mais cedo, as autoridades sanitárias informaram que os serviços de terapia intensiva da França relatam uma queda nas novas internações, dando sequência a vários dias consecutivos de declínio. Há atualmente 2.812 pacientes nas UTIs, 56 a menos do que nesta sexta-feira. Contando com eles, há 22.614 pessoas internadas com covid-19, um número também em constante queda por mais de uma semana.

As quatro regiões do noroeste do país, incluindo Paris, são as que sofrem o maior golpe, pois agrupam 75% dos casos de toda a França, enquanto a incidência hospitalar no restante do território é bastante baixa.

Últimas