Internacional Comemoração por fim da 1ª Guerra é alvo de atentado na A. Saudita

Comemoração por fim da 1ª Guerra é alvo de atentado na A. Saudita

Evento tinha a participação de diplomatas de vários países. Segundo EFE, artefato foi lançado contra a multidão e algumas pessoas ficaram feridas

  • Internacional | Da EFE

Comemoração é alvo de atentado

Comemoração é alvo de atentado

Amel Pain/EFE/EPA

Um ato de comemoração pelo aniversário do fim da Primeira Guerra Mundial, realizado em Jidá, na Arábia Saudita, que tinha a participação de diplomatas de vários países, foi alvo de um atentado nesta quarta-feira (11).

O ataque deixou dois feridos, de acordo com informações divulgadas pelo porta-voz da província de Meca, Sultan al Dosari.

"Nesta manhã, as autoridades de segurança começaram as investigações por um ataque covarde feito enquanto vários cônsules acompanhavam um evento em Jidá, que deixou dois feridos leves, um funcionário do consulado grego e um agente de segurança saudita", indicou a fonte, por meio de comunicado.

Al Dosari, no entanto, não deu mais detalhes sobre o atentado, realizado com o lançamento de um artefato explosivo contra um cemitério para não-muçulmanos, segundo divulgou mais cedo a Embaixada da França na Arábia Saudita.

A informação foi divulgada inicialmente pelo Ministério de Relações Exteriores da França, que publicou recomendações a todos que viajaram para o país asiático para acompanhar a solenidade, que acontecia no cemitério de Jidá.

Explosão deixou feridos

De acordo com a apuração da Agência Efe, um artefato explosivo foi lançado em direção dos participantes, detonou, e provocou ferimentos em algumas pessoas. Ainda não há detalhes sobre a identidade daqueles que precisaram receber atendimento médico.

O jornal francês Le Figaro, citando fontes sauditas, indicou que foram quatro feridos, entre eles, um cidadão grego. A publicação apontou que no local estavam os cônsules da França, Itália e Reino Unido, entre outras autoridades europeias.

"A França condena firmemente esse atentado tão covarde, que não pode ser justificado por nada", indicou o Ministério das Relações Exteriores francês, que cobrou identificação e punição dos autores.

O atentado acontece 12 dias depois de outro ataque em Jidá, contra um guarda do consulado da França na cidade.

Em comunicado aos turistas que estão na Arábia Saudita, a chancelaria francesa pediu que os cidadãos fiquem "particularmente atentos" quando se deslocarem pelo país.

Desde o fim de setembro, a França sofreu três atentados no próprio território e vem sendo alvo de uma campanha de vários governos muçulmanos, pela política do presidente, Emmanuel Macron, contra o fundamentalismo islâmico.

Últimas