Rússia x Ucrânia

Internacional Comunidade ucraniana vira a segunda maior de Portugal, atrás apenas da brasileira

Comunidade ucraniana vira a segunda maior de Portugal, atrás apenas da brasileira

País recebeu mais de 18 mil pedidos de proteção temporária de pessoas que estão fugindo da guerra no Leste Europeu

Agência EFE
Portugal é um dos países europeus que estão recebendo milhares de refugiados ucranianos

Portugal é um dos países europeus que estão recebendo milhares de refugiados ucranianos

EFE/EPA/ANTONIO COTRIM

Os mais de 18 mil pedidos de proteção temporária para refugiados da Ucrânia tornaram a comunidade, oriunda da antiga república soviética, a segunda maior em Portugal, sendo superada apenas pela brasileira.

Desde o início da invasão do país pela Rússia, em 24 de fevereiro, 18.410 ucranianos pediram abrigo às autoridades portuguesas, segundo confirmou nesta terça-feira à Agência Efe o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal).

Com isso, sobe para 45 mil o número de cidadãos provenientes da Ucrânia que vivem no país ibérico, superando assim os britânicos.

De acordo com o SEF, até a semana passada, eram feitos 1.200 pedidos de proteção para refugiados da Ucrânia, mas nesta semana o número subiu para 2.000, em média.

O ministro das Relações Exteriores de Portugal, Augusto Santos Silva, garantiu dias atrás que as portas do país estão abertas para os ucranianos que fogem da guerra.

O chanceler lembrou que a comunidade oriunda da Ucrânia no território luso chegou a reunir mais de 80 mil pessoas nos anos 90.

"Contudo, estamos muito longe da capacidade de absorção de nossa sociedade", disse Santos Silva em entrevista a correspondentes estrangeiros concedida na semana passada em Lisboa.

Na ocasião, o ministro afirmou que há mais de 10 mil empregos disponíveis em diferentes setores em Portugal para refugiados ucranianos.

Enquanto isso, os brasileiros continuam formando a maior comunidade estrangeira no país ibérico, com 210 mil pessoas.

Portugal concede proteção temporária aos refugiados ucranianos por um ano, com possibilidade de prorrogação por mais seis meses. A medida facilita o registro fiscal, de seguridade social, educação para crianças e acesso ao mercado de trabalho.

Últimas