Internacional Conheça os passaportes ‘mais poderosos do mundo’; documento brasileiro está na 11ª posição

Conheça os passaportes ‘mais poderosos do mundo’; documento brasileiro está na 11ª posição

Passaporte dos Emirados Árabes Unidos é o primeiro da lista e permite a livre entrada de seus cidadãos em 180 países

Resumindo a Notícia

  • Em segundo lugar estão países como Alemanha, Suécia e Finlândia
  • Brasil ficou fora do top 10 e aparece na 11ª posição ao lado de Argentina e Chile
  • Nos últimos lugares do ranking aparecem Iraque (95º); Síria (96º) e Afeganistão (97º)
  • Na última posição, os afegãos têm entrada liberada em apenas 38 países
Site Passport Index divulgou ranking dos passaportes mais poderosos do mundo em 2022

Site Passport Index divulgou ranking dos passaportes mais poderosos do mundo em 2022

Pexels

O site Passport Index divulgou o ranking dos passaportes mais poderosos do mundo em 2022. Os documentos nas primeiras posições permitem que seus cidadãos viagem para o maior número de países sem impedimentos.

Em primeiro lugar está o passaporte dos Emirados Árabes Unidos, que permite que seus cidadãos entrem em 180 países sem a necessidade de um visto.

Em segundo lugar, com acesso a 173 países, estão os documentos da Alemanha, Suécia, Finlândia, Luxemburgo, Itália, Espanha, França, Holanda, Áustria, Suíça e Coreia do Sul.

A medalha de bronze ficou com Dinamarca, Bélgica, Portugal, Noruega, Polónia, Irlanda, Estados Unidos da América e Nova Zelândia já que seus cidadãos podem ter livre acesso a 172 nações.

Em quarto lugar, com acesso a 171 países, estão República Tcheca, Grécia, Hungria, Japão, Reino Unido e Austrália.

Logo depois, estão Singapura, Malta, Lituânia, Eslováquia e Canadá, com acesso a 170 países, e seguidos por Estônia, Eslovênia e Letônia, cujos cidadãos podem entrar em 169 países. Em sétimo lugar estão Islândia e Liechtenstein, com entrada liberada em uma nação a menos.

O Brasil ficou fora do top 10 e aparece na 11ª posição ao lado de Argentina e Chile, com documentos que permitem o acesso a 160 nações.

Outros países da América Latina aparecem em lugares mais baixos, como México (18º); Uruguai (19º) e Paraguai e Colômbia (27º).

Nos últimos lugares do ranking aparecem Iraque (95º); Síria (96º) e Afeganistão (97º). Na última posição, os afegãos têm entrada liberada em apenas 38 países.

Últimas