Coreia do Norte: Kim agradece com lágrimas tropas durante discurso

As medidas anti-coronavírus, sanções internacionais e vários tufões combinados impediram o governo de melhorar a vida dos cidadãos, disse Kim

Kim Jong Un chorou durante seu discurso no 75º aniversário do partido

Kim Jong Un chorou durante seu discurso no 75º aniversário do partido

KRT TV/ via REUTERS/ 12.10.2020

O líder norte-coreano Kim Jong Un ficou visivelmente emocionado durante um discurso em uma parada militar no fim de semana, enquanto agradecia às tropas por seus sacrifícios e pedia desculpas aos cidadãos por não ter conseguido melhorar suas vidas.

Em um discurso no sábado durante as comemorações para marcar o 75º aniversário da fundação de seu Partido dos Trabalhadores, Kim agradeceu a milhares de soldados reunidos por responder às recentes tempestades devastadoras e por ajudar a prevenir um surto de coronavírus no país.

Leia mais: Coreia do Norte adota fala cautelosa e exibe novo poderio militar

Em um vídeo editado e divulgado pela estação de televisão estatal, Kim parecia choroso e em determinado momento parecia sufocar.

Kim disse que estava grato por nenhum norte-coreano ter sido infectado com o vírus, uma afirmação que as autoridades norte-coreanas e sul-coreanas já haviam questionado.

O impacto das medidas anti-coronavírus, sanções internacionais e vários tufões combinados para impedir o governo de cumprir as promessas de melhorar a vida dos cidadãos, disse Kim.

“Meus esforços e sinceridade não foram suficientes para livrar nosso povo das dificuldades de sua vida”, disse ele. “Nosso pessoal, no entanto, sempre acreditou e confiou totalmente em mim e apoiou minha escolha e determinação, seja ela qual for.”

A economia da Coreia do Norte, já severamente restringida por sanções internacionais impostas sobre suas armas nucleares e programas de mísseis balísticos, sofreu um novo golpe quando o país fechou quase todo o tráfego de fronteira em um esforço para evitar um surto de coronavírus.

As Nações Unidas disseram que até 40% da população enfrenta escassez de alimentos, que pode ter sido agravada por severas enchentes e tufões no verão.

Em uma cena comum a muitos desses eventos na Coreia do Norte, a maioria das pessoas na platéia também tinha lágrimas escorrendo pelo rosto.