Internacional Detido em Portugal um dos maiores traficantes de armas do mundo

Detido em Portugal um dos maiores traficantes de armas do mundo

Polícia monitorou venda de cavalos de Jacques Monsieur, acusado de ser responsável pelo fornecimento de armas para o Oriente Médio

Um dos maiores traficantes de armas do mundo é detido em Portugal

Pedro Puente Hoyos / EFE-EPA - 2.8.2019

A paixão por cavalos do traficante de armas belga Jacques Monsieur, condenado a quatro anos de prisão e foragido da justiça, facilitou sua detenção nesta semana em Portugal, graças ao monitoramento do transporte de equinos, informou nesta sexta-feira (16) a Polícia Federal da Bélgica.

Monsieur foi condenado em 19 de outubro de 2018 por um tribunal de Bruxelas a quatro anos de prisão e uma multa de 1,2 milhão de euros (R$ 5,8 milhões) por tráfico de armas e por participar de uma organização criminosa.

Desde então, encontrava-se em paradeiro desconhecido e a Promotoria belga tinha emitido um aviso de busca e captura em nível internacional.

Polícia monitorou venda de cavalos do traficante

A detenção, que aconteceu em 14 de agosto em Herdade do Jambujal, perto da cidade portuguesa de Evora, foi fruto da colaboração da Polícia belga, francesa e portuguesa.

A pista que levou até o traficante estava em Tarascón, uma pequena cidade na provença francesa, onde Monsieur era proprietário de uma chácara que vendeu em março.

Apaixonado por cavalos, o traficante encarregou em julho a um criador francês o transporte de nove exemplares que tinha na antiga chácara até Portugal, um serviço cujo custo foi de 2,5 mil euros (R$ 11 mil), preço que nunca foi pago.

Este transporte foi, segundo a polícia belga, a pista definitiva que levou os investigadores à cidade portuguesa onde Monsieur estava escondido, em uma grande casa de campo situada perto dos estábulos onde tinha os cavalos.

Fornecedor de armas para o Oriente Médio

Segundo a rede de televisão VTM, Jacques Monsieur comparecerá nesta sexta-feira diante de um tribunal em Portugal.

A história, indica o mesmo meio, começou nos anos 80, quando forneceu armas ao Irã na guerra com o Iraque, e inclui também penas nos Estados Unidos e na França.

A mesma emissora assegura que não houve um só conflito armado nos últimos 35 anos no qual Monsieur não tenha estado envolvido como traficante de armas.

A Promotoria Federal aguarda a entrega de Monsieur à Bélgica.