Diário de um Repórter Brasileiro na Ucrânia

Internacional Dia 3: uma homenagem aos mortos, um sobrevivente e os ataques de uma guerra híbrida

Dia 3: uma homenagem aos mortos, um sobrevivente e os ataques de uma guerra híbrida

Enquanto o mundo teme uma invasão russa, ucranianos dizem que para eles o conflito começou em 2014 e ainda não terminou

  • Internacional | Leandro Stoliar, da Record TV

Leandro Stoliar e  Luís Felipe Silveira acompanham a crise na Ucrânia

Leandro Stoliar e Luís Felipe Silveira acompanham a crise na Ucrânia

Record TV/R7

Hoje foi um dia muito movimentado aqui em Kiev, na capital da Ucrânia. As notícias de que a Rússia anunciou a retirada de parte das tropas da fronteira não convenceram os ucranianos. Isso porque a maioria não acredita muito no que os russos dizem.

Dia 1: a viagem da equipe da Record TV até Kiev, na Ucrânia

Aqui em Kiev existe um muro com as fotos de 14 mil civis e militares ucranianos que morreram nos confrontos com a Rússia que acontecem desde 2014. Fomos lá conhecer e tentar entender melhor esse conflito. O muro é uma espécie de homenagem para que ninguém esqueça o rosto dos compatriotas mortos no combate.

Aliás, os ucranianos dizem que perguntar se pode haver uma guerra no país é um erro brutal, já que para eles nunca terminou. Quem me disse isso foi um veterano do Exército ucraniano que encontrei enquanto gravava imagens do muro.

Muro em homenagem aos 14 mil civis e militares que morreram na guerra com a Rússia em 2014

Muro em homenagem aos 14 mil civis e militares que morreram na guerra com a Rússia em 2014

Record TV/R7

Sobrevivente da guerra

Oleksiy Sokil hasteava a bandeira em Donbas, uma região que faz fronteira com a Rússia, quando foi atingido na costela por um tiro vindo de um franco-atirador. Ele sobreviveu por sorte e convive com um fragmento de bala alojado no coração.

Muito educado, o ex-combatente me conta que militares russos mataram irmãos e irmãs na fronteira e não acredita que essa guerra vai acabar tão cedo.

Equipe da Record TV ao lado do ex-combatente Oleksiy Sokil, de roupa verde

Equipe da Record TV ao lado do ex-combatente Oleksiy Sokil, de roupa verde

Record TV/R7

Dia 2: o encontro com uma brasileira e os desafios de uma cobertura na Ucrânia

Oleksiy chora ao ver a foto de três amigos mortos no imenso mural. O ex-militar me pareceu uma pessoa muito lúcida. Ele disse que a Rússia é a agressora e que os ucranianos só estão tentando defender o território. É o mesmo que diz o ex-militar Oleg Sobutsky, que hoje é empresário, presidente da Federação de Futebol Master na Ucrânia.

Oleg me diz que os russos atacam todos os dias as bases ucranianas na fronteira e que os exercícios militares no mar Negro acontecem para prejudicar a economia ucraniana, porque impedem a passagem de navios comerciais.

Guerra híbrida

O governo da Ucrânia diz que sofre ataques de todas as frentes: militar, econômica e até virtual. É o que eles chamam de guerra híbrida. Os ucranianos acusam os russos de fazer exercícios militares e criar uma tensão na Ucrânia para afastar os investidores estrangeiros e produzir fake news e ataques cibernéticos para propagar esse pânico.

Enquanto escrevo este diário, o site oficial do Ministério da Defesa ucraniano acaba de ser atacado e sair do ar. As Forças Armadas suspeitam que hackers tenham provocado uma sobrecarga de acessos para derrubar o site. Dois grandes bancos locais deixaram de realizar transações... Alguém adivinha quem pode ter feito isso?

Últimas