Internacional 'Diga aos meus filhos que eu os amo', disse brasileira morta em Nice

'Diga aos meus filhos que eu os amo', disse brasileira morta em Nice

Segundo o jornal britânico Daily Mail, essas foram as últimas palavras de Simone Barreto Silva, vítima do ataque que ocorreu na França, na quinta (29)

  • Internacional | Do R7

Simone foi uma das vítimas de atentado na França

Simone foi uma das vítimas de atentado na França

Reprodução/Facebook

"Diga aos meus filhos que eu os amo", essas foram as últimas palavras de Simone Barreto Silva, de 44 anos e mãe de três filhos, uma das três vítimas fatais do ataque que ocorreu na quinta-feira (29), em Nice, na França. A informação é do jornal britânico Daily Mail. 

No total, além de Simone, uma mulher e um homem morreram no atentado cometido por um tunisiano na basílica Notre-Dame de l'Assomption, em Nice.

A mãe de três filhos morava na França há 30 anos e foi esfaqueada pelo imigrante tunisiano Brahim Aoussaoui. Segundo o jornal britânico, Simone conseguiu caminhar por alguns metros até morrer por conta de seus ferimentos próxima de uma hamburgueria. Suas últimas palavras foram para os paramédicos que corriam para socorrê-la. 

A morte de Simone foi confirmada pela embaixada brasileira na França. O Itamaraty publicou uma nota lamentando o ocorrido e repudiando toda e qualquer forma de terrorismo.

"O Brasil expressa seu firme repúdio a toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação, e reafirma seu compromisso de trabalhar no combate e erradicação desse flagelo, assim como em favor da liberdade de expressão e da liberdade religiosa em todo o mundo", diz trecho da nota.

Terrorista islâmico

Segundo o Daily Mail, Brahim Aoussaoui, responsável pelo ataque, chegou à Europa de barco no último mês. Ele gritava "Allahu Akbar" (Deus é o maior em árabe), enquanto proferia os ataques nas vítimas que estavam em uma igreja.

Mesmo enquanto era baleado pela polícia francesa, o tunisiano continuava gritando as mesmas palavras. 

Aoussaoui chegou a Nice por volta de 6h30 via trem e chegou a igreja às 8h30, onde permaneceu por quase meia hora. 

O terrorista chegou na Europa pela ilha italiana de Lampedusa, no Mar Mediterrâneo, no dia 20 de setembro, e à Paris no dia 9 de outubro. As informações sobre as viagens vieram de um documento da Cruz Vermelha italiana, que estava com Aoussaoui.

Últimas