Internacional Dinamarca declara encerrado vazamento no gasoduto Nord Stream 2

Dinamarca declara encerrado vazamento no gasoduto Nord Stream 2

Incidentes prejudicaram também o lado da instalação que fica na Suécia; países nórdicos acreditam em sabotagem

Agência EFE
Nos último dias, foram identificadas duas fugas em cada gasoduto, Nord Stream 1 e 2

Nos último dias, foram identificadas duas fugas em cada gasoduto, Nord Stream 1 e 2

Hannibal Hanschke/Reuters - 08.03.2022

Autoridades da Dinamarca informaram neste sábado (1º) acreditarem que os dois vazamentos detectados no gasoduto Nord Stream 2 expulsaram para a atmosfera todo o gás que havia no interior da estrutura.

Entre o último domingo (25) e terça-feira (27) foram identificadas duas fugas em cada gasoduto, Nord Stream 1 e 2 (ambos fora de serviço), sendo dois em área dinamarquesa e dois em área da Suécia, todas em águas internacionais. Os governos dos respectivos países nórdicos apontaram os casos como sendo "sabotagem".

"O consórcio Nord Stream informou à Direção Geral de Energia da Dinamarca que, aparentemente, foi alcançada uma pressão estável nas tubulações do Nord Stream 2. Isso aponta que o vazamento de gás chegou ao fim", indicou o órgão, através do Twitter.

As autoridades dinamarquesas informaram quatro dias atrás que mais da metade do gás já havia escapado e que o fluxo poderia ser totalmente interrompido neste domingo, o que permitiria iniciar uma exploração submarina.

Os setores de eletricidade e gás da Dinamarca e da Suécia elevaram o nível de alerta em suas instalações, por causa dos vazamentos, medida semelhante a adotada na Noruega. O Nord Stream 1 tinha interrompido o fluxo de gás duas semanas atrás, sob a alegação da Rússia de problemas técnicos, enquanto o segundo nunca entrou em operação, depois do reconhecimento de Moscou das repúblicas separatistas do Donbas, em fevereiro.

Assim como os países afetados, a União Europeia, os Estados Unidos e a Rússia falam de sabotagem, enquanto diferem sobre os possíveis autores. Moscou acusou os americanos e britânicos de envolvimento, enquanto os países ocidentais levantam suspeitas para um ataque feito pelos próprios russos. 

Últimas