Internacional Duque decreta luto de três dias por mortos em atentado em Bogotá

Duque decreta luto de três dias por mortos em atentado em Bogotá

Pelo menos 21 pessoas morreram no atentado cometido com um carro-bomba, e 68 pessoas ficaram feridas

Presidente colombiano Iván Duque fez pronunciamento em cadeia nacional

Presidente colombiano Iván Duque fez pronunciamento em cadeia nacional

Efraín Herrera/Presidencia de Co

O presidente da Colômbia, Iván Duque, decretou nesta quinta-feira(17) três dias de luto pelos 21 mortos que deixou o atentado terrorista cometido em Bogotá, contra a Escola de Polícia General Francisco de Paula Santander, que também feriu 68 pessoas.

"Desde o momento dos fatos, estamos dando assistência e acompanhando as famílias das vítimas. Envio a todos eles sempre o meu carinho, meu sentido de gratidão. E em honra a elas, decretamos três dias de luto nacional", disse Duque.

Pelo menos 21 pessoas morreram no atentado cometido com um carro-bomba, e 68 pessoas ficaram feridas.

"Os cadetes que o terrorismo atacou no dia de hoje representam o melhor da Colômbia: sua diversidade, já que vêm de distintas regiões, inclusive de países vizinhos como Equador e Panamá", manifestou o presidente.

Diante disso, Duque afirmou que "os terroristas buscam intimidar" a Colômbia como sociedade "e amedrontar o Estado colombiano".

"A Colômbia mostrará que é uma nação forte, unida e que não se quebra diante da demência destas agressões", afirmou.

O presidente ressaltou que desde que aconteceu o ataque, pouco depois das 9h30 (horário local, 12h30 de Brasília) de quinta-feira, as autoridades estão trabalhando "para poder capturar aos responsáveis e levá-los à Justiça".

Segundo a Promotoria, no atentado foi utilizada uma SUV cinza Nissan Patrol modelo 1993 carregada com 80 quilos de explosivos que invadiu a academia policial e segundos depois voou pelos ares depois de bater contra um alojamento feminino.

O presidente indicou que ordenou "fortalecer os controles sobre as fronteiras e as entradas e saídas das cidades" assim como "dar prioridade a todas as investigações, convocando a solidariedade e ajuda dos cidadãos para identificar os autores intelectuais deste atentado terrorista e seus cúmplices".

Após o discurso, Duque começou um conselho de segurança ao lado da vice-presidente Marta Lucía Ramírez, o procurador-geral do país, Néstor Humberto Martínez; o prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa; os ministros do Interior, Nancy Patricia Ramírez, e da Defesa, Guillermo Botero, bem como o comando militar e policial e outros funcionários. EFE

Últimas