Emirados Árabes reabrem embaixada na Síria

Marcando vitória ao presidente Assad, medida tem como intenção normalizar relações e reduzir risco de interferência regional em 'questões árabes, sírias'

Reuters
A bandeira dos Emirados foi erguida na embaixada

A bandeira dos Emirados foi erguida na embaixada

Omar Sanadiki/Reuters - 27.12.2018

Os Emirados Árabes Unidos reabriram sua embaixada em Damasco nesta quinta-feira (27), marcando uma grande vitória diplomática para o presidente sírio, Bashar al-Assad, partindo de um Estado árabe aliado dos Estados Unidos que já apoiou rebeldes de oposição na Síria.

Os Emirados Árabes disseram que a medida tem como intenção normalizar as relações e reduzir o risco de interferência regional em "questões árabes, sírias" — em uma aparente referência ao Irã, país não árabe, cujo apoio a Assad tem sido essencial para seus esforços de guerra.

A bandeira dos Emirados Árabes foi erguida na embaixada, fechada desde os primeiros meses do conflito na Síria, oito anos atrás. O Ministério de Relações Exteriores dos Emirados disse que o responsável pela diplomacia na região assumiu suas tarefas nesta quinta-feira.

Os Emirados Árabes eram um dos muitos Estados da região a apoiar grupos armados opostos a Assad, embora seu papel fosse menos proeminente do que o desempenhado pela Arábia Saudita, Catar ou Turquia, segundo fontes rebeldes da região. O apoio dos Emirados tem sido associado a grupos opostos à dominação islâmica da revolta.

Após quase oito anos de guerra, Assad recuperou controle de quase toda a Síria com o apoio da Rússia, Irã e de grupos muçulmanos xiitas apoiados pelo Irã, como o Hezbollah, do Líbano.

Os avanços militares de Assad ganharam força este ano com a derrota dos últimos grandes enclaves rebeldes perto de Damasco e a recuperação da região sudoeste do país.

Últimas