Internacional Espanha devolve ao Marrocos 5.600 imigrantes que chegaram a Ceuta

Espanha devolve ao Marrocos 5.600 imigrantes que chegaram a Ceuta

Cerca de 8 mil pessoas entraram no enclave espanhol desde a última segunda-feira (17), o maior número já registrado no local

  • Internacional | Da EFE

EFE / Brais Lorenzo

A Espanha devolveu até agora ao Marrocos 5.600 imigrantes ilegais, dos 8 mil que chegaram nos últimos dois dias à cidade espanhola de Ceuta, no norte da África, de acordo com dados oficiais.

O número aumentou nas últimas horas após o acordo alcançado entre os dois países para o regresso das milhares de pessoas que tinham entrado na cidade, segundo informações fornecidas pelo Ministério do Interior espanhol.

Cerca de 8 mil imigrantes conseguiram entrar em Ceuta pelo mar desde segunda-feira (17), entre eles cerca de 1,5 mil menores, um número recorde de chegadas à Espanha em tão pouco tempo, o que provocou uma crise diplomática entre os dois países.

Juntamente com aqueles que são obrigados a regressar, na fronteira estão aglomeradas várias dezenas de jovens que entraram ilegalmente nos últimos dias e que desejam regressar voluntariamente ao Marrocos porque não têm onde dormir ou comer em Ceuta, como disseram à Agência Efe alguns dos militares que patrulham a região.

O governo espanhol mobilizou ontem o exército e avisou o Marrocos que defenderá a integridade territorial das suas fronteiras "com todos os meios", após a situação sem precedentes que ocorreu ontem na cidade espanhola diante da passividade das autoridades marroquinas.

A chegada maciça de imigrantes marroquinos a Ceuta foi o último e mais grave episódio da crise diplomática entre Espanha e Marrocos, aberta pela admissão há algumas semanas em um hospital espanhol do líder da Frente Polisario, Brahim Ghali, para tratar sintomas da covid-19.

Últimas