Internacional EUA alertam sobre medidas anti-Covid 'arbitrárias' na China

EUA alertam sobre medidas anti-Covid 'arbitrárias' na China

Orientação do governo americano é que parte de seu pessoal abandone o consulado diante do surto que mantém confinados os moradores em Xangai

AFP
Foram reportados mais de 100 mil casos de Covid-19 em Xangai

Foram reportados mais de 100 mil casos de Covid-19 em Xangai

STR / AFP - 08/04/22

Os Estados Unidos alertaram neste sábado (9) para medidas anti-Covid "arbitrárias" na China e informaram que deixarão que parte de seu pessoal abandone o consulado em Xangai diante do surto que mantém confinados os moradores da cidade.

Até março, a China conseguiu conter os casos com confinamentos seletivos, testes em massa e restrições às viagens, mas atualmente foram reportados mais de 100 mil casos em Xangai, pondo à prova a estrita política de Covid zero que Pequim defende.

A cidade de quase 25 milhões de habitantes está submetida a um confinamento por fases, o que gera queixas pela falta de abastecimento e vídeos que viralizaram de seus moradores questionando a autoridade.

O Departamento de Estado americano vai permitir a partida de pessoal não essencial de seu consulado em Xangai, "devido a um surto de casos de Covid-19 e ao impacto das restrições", destacou em um comunicado um porta-voz da embaixada.

O comunicado adverte os cidadãos americanos que reconsiderem viajar à China "devido à aplicação de leis arbitrárias e restrições relacionadas com a Covid-19", acrescentando que a embaixada em Pequim expressou preocupação com as medidas ao governo chinês.

Neste sábado, Xangai registrou mais de 23 mil novos casos de Covid, a maioria assintomática, que representam mais de 90% dos contágios em nível nacional.

Últimas