Internacional EUA: reféns são em resgatados de sinagoga; sequestrador morre

EUA: reféns são em resgatados de sinagoga; sequestrador morre

Homem morto no Texas pedia a liberdade de sua irmã, uma condenada a 86 anos de prisão por terrorismo

  • Internacional | Do R7, com informações da AFP

Sequestro em sinagoga assusta moradores da cidade de Colleyville, no Texas (EUA)

Sequestro em sinagoga assusta moradores da cidade de Colleyville, no Texas (EUA)

Brandon Bell/ Getty Images via AFP

Um sequestro com reféns em uma sinagoga do Texas (EUA) terminou na madrugada deste domingo (16) com a libertação de todos os reféns sãos e salvos e a morte do suspeito, que aparentemente estava pedindo a libertação de uma terrorista, confirmaram as autoridades americanas após cerca de 10 horas de negociações.

Jornalistas no local relataram uma forte explosão e tiros na sinagoga pouco antes de o governador do Texas, Greg Abbott, anunciar o resultado das ações. Um refém havia sido libertado ileso algumas horas antes. Não ficou claro quantos no total foram detidos.

"A equipe de resgate de reféns invadiu a sinagoga", disse o chefe de polícia de Colleyville, Michael Miller, em entrevista coletiva. "O suspeito está morto", acrescentou.

Com relatos de que o rabino muito amado da sinagoga estava entre os reféns, o incidente causou grande preocupação de organizações judaicas nos Estados Unidos, bem como do governo de Israel.

O presidente Joe Biden foi mantido a par dos desenvolvimentos, de acordo com a Casa Branca.

A polícia foi alertada para uma emergência na manhã de sábado na Congregação Beth Israel em Colleyville, cerca de 40 quilômetros a oeste de Dallas, e rapidamente circularam relatos de que era um sequestro.

A rede de televisão ABC News informou que o sequestrador estava armado e disse que tinha bombas em vários lugares.

Citando um alto funcionário, a ABC informou que o homem afirmou ser irmão de Aafia Siddiqui, uma mulher apelidada de "Lady Qaeda" pelos jornais americanos, e exigiu que ela fosse libertada da prisão.

Outros especialistas indicaram, no entanto, que a palavra que o homem expressou em árabe poderia ser usada em sentido figurado e significava "irmã" da fé islâmica.

Aaifa Siddiqui

Siddiqui, uma ex-cientista paquistanesa, foi condenada por um tribunal de Nova York em 2010 a 86 anos de prisão por tentativa de assassinato de autoridades americanas no Afeganistão. O caso de grande repercussão provocou indignação no Paquistão.

Uma transmissão ao vivo da página do Facebook da congregação durante o serviço matinal de sabbat pareceu capturar a voz de uma pessoa falando muito alto, mas não mostrou a cena no interior do centro religioso.

No vídeo, ouvia-se um homem dizendo: "Coloque minha irmã no telefone" e "vou morrer". Ele também dizia: "Há algo de errado com os Estados Unidos."

A transmissão começou às 10h locais e terminou pouco antes das 14h. A polícia de Colleyville disse no Twitter às 11h30 locais (12h30 em Brasília), que estava realizando uma "operação SWAT" na congregação Beth Israel.

Últimas