Estados Unidos

Internacional EUA sancionam três empresas por vender petróleo à Coreia do Norte

EUA sancionam três empresas por vender petróleo à Coreia do Norte

Anúncio é feito em contexto de tensões, pois o país asiático lançou dois novos mísseis balísticos e decolou 12 aviões de combate

AFP
Resumindo a Notícia
  • Os EUA anunciaram sanções contra três empresas por venda de petróleo à Coreia do Norte

  • Vendas "apoiaram desenvolvimento do programa de armas da Coreia do Norte e seu Exército"

  • Sanções objetivam evitar que o país asiático "se livre das sanções das Nações Unidas"

  • O anúncio é feito em meio a tensões, pois a Coreia do Norte lançou dois novos mísseis

Blinken disse que EUA continuarão com medidas contra quem apoiar o Exército norte-coreano

Blinken disse que EUA continuarão com medidas contra quem apoiar o Exército norte-coreano

Esteban Felix/Pool/AFP - 4.10.2022

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira (7) sanções econômicas contra três empresas e duas pessoas das ilhas Marshall, de Singapura e de Taiwan, por participação na venda de petróleo à Coreia do Norte.

Essas ações "apoiaram diretamente o desenvolvimento do programa de armas da Coreia do Norte e seu Exército", afirmou o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos em nota.

Estas sanções tem como objetivo evitar que o país "se livre das sanções das Nações Unidas que restringem a importação de produtos derivados do petróleo", por meio de um sistema de transferências ilícitas entre embarcações, acrescentou.

O anúncio é feito em um contexto de tensões, já que a Coreia do Norte lançou dois novos mísseis balísticos na quinta-feira (6) e decolou 12 aviões de combate em formação, após ter disparado outro míssil sobre o Japão na terça-feira (4), o primeiro desde 2017.

O regime da Coreia do Norte justificou os testes como "uma represália justa" a Washington e Seul e aos exercícios militares ocorridos na região.

Ao impor essas sanções, os "Estados Unidos enviam uma mensagem clara de que continuará tomando medidas contra aqueles que apoiarem o desenvolvimento e manutenção do Exército norte-coreano e seu arsenal militar", garantiu o secretário de Estado americano, Antony Blinken, em nota.

O objetivo das sanções é congelar bens sob jurisdição dos Estados Unidos, além de proibir as empresas americanas, incluindo os bancos internacionais, de negociar com os sancionados.

Últimas