Internacional Finlândia e Suécia enviam delegações à Turquia para negociar adesão à Otan

Finlândia e Suécia enviam delegações à Turquia para negociar adesão à Otan

Governo turco é contra a adesão dos países nórdicos à aliança militar por supostamente abrigarem membros de grupos radicais

Reuters - Internacional
Presidente da Turquia, Recep Erdogan

Presidente da Turquia, Recep Erdogan

Yves Herman/Reuters - 14/6/2021

A Finlândia e a Suécia enviarão delegações a Ancara, capital da Turquia, na quarta-feira (25) para tentar resolver a oposição turca aos seus pedidos de adesão à Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), disse o ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto, nesta terça-feira.

As objeções de Ancara frearam o que a Suécia e a Finlândia esperavam que fosse um processo de adesão rápido, já que os dois países buscam reforçar sua segurança após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

"Entendemos que a Turquia tem algumas de suas próprias preocupações de segurança em relação ao terrorismo", disse Haavisto durante um painel de discussão no Fórum Econômico Mundial em Davos. "Achamos que essas questões podem ser resolvidas. Pode haver também algumas questões que não estão diretamente ligadas à Finlândia e à Suécia, mas mais a outros membros da Otan."

A Turquia diz que Suécia e Finlândia abrigam pessoas ligadas ao grupo militante do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e seguidores de Fethullah Gulen, a quem Ancara acusa de orquestrar uma tentativa de golpe de 2016.

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia confirmou que as negociações começarão na quarta-feira.

Na segunda-feira, a Turquia delineou condições para apoiar a candidatura da Suécia à Otan, exigindo que o país nórdico suspenda as sanções contra a Turquia, incluindo um embargo à exportação de armas; acabe com o "apoio político ao terrorismo"; elimine as fontes de financiamento do terrorismo e suspenda o apoio de armas ao PKK e seu braço armado sírio YPG, de acordo com uma lista publicada pela diretoria de comunicações do presidente.

Últimas