Internacional Finlândia registrou mais mortes por suicídio do que por Covid em 2020

Finlândia registrou mais mortes por suicídio do que por Covid em 2020

Enquanto 558 finlandeses morreram em decorrência da doença no ano passado, 717 tiraram a própria vida no país no mesmo período

  • Internacional | Do R7

Saúde mental continua sendo um grave problema na Finlândia

Saúde mental continua sendo um grave problema na Finlândia

Pixabay

A Finlândia é um dos países europeus que melhor controlaram a pandemia, a ponto de ter registrado mais mortes por suicídio do que por Covid-19 em 2020, segundo dados da agência nacional de estatística Tilastokeskus divulgados nesta sexta-feira (10).

Um total de 717 pessoas se suicidaram na Finlândia no ano passado, 73% homens, enquanto a pandemia de Covid-19 causou 558 óbitos — 1% de todas as mortes — no país de 5,5 milhões de pessoas, de acordo com a Tilastokeskus.

Embora tenha havido 29 suicídios a menos do que em 2019, esses números mostram que a saúde mental continua sendo um problema grave na Finlândia, ao mesmo tempo que atestam que o país nórdico tem sido capaz de minimizar os efeitos da pandemia.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Finlândia é o país da União Europeia (UE) com a mais baixa taxa de mortalidade por Covid-19 desde o início da pandemia.

São 254,5 mortes a cada milhão de habitantes, número sete vezes menor que o verificado na Espanha e na França e cinco vezes menor que o observado na Alemanha.

O país nórdico tem também o terceiro menor número de mortes em relação à sua população em todo o continente europeu, atrás apenas da Islândia (96,1 por milhão de habitantes) e da Noruega (211,3), segundo a OMS.

No entanto, a Finlândia está atualmente no meio da quinta onda da pandemia. As autoridades sanitárias anunciaram na sexta-feira que foram detectadas 1.781 novas infecções nas últimas 24 horas, o número diário mais elevado até o momento.

O aumento acentuado de infecções e internações hospitalares por Covid-19 nas últimas semanas ameaça sobrecarregar as unidades de terapia intensiva, cuja ocupação duplicou desde o fim de outubro.

De acordo com dados do Instituto Nacional Finlandês de Saúde e Bem-Estar, 76,7% das pessoas na Finlândia receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19, 72,7% receberam a segunda e 8% receberam a dose de reforço.

Apesar disso, a incidência acumulada nas últimas duas semanas aumentou para 319,7 casos a cada 100 mil habitantes, 24% a mais do que nos 14 dias anteriores.

Últimas