Internacional França aprova uso de passaporte sanitário até julho de 2022

França aprova uso de passaporte sanitário até julho de 2022

Decisão foi criticada pela oposição do governo em plena pré-campanha das eleições à presidência, previstas para abril e maio

AFP
 Celular mostra um Certificado de Covid Digital da União Europeia

Celular mostra um Certificado de Covid Digital da União Europeia

Joel Saget/APF - 20.07.2021

O Parlamento da França aprovou nesta sexta-feira (5) uma polêmica prorrogação do uso do passaporte sanitário até 31 de julho de 2022, uma decisão criticada pela oposição em plena pré-campanha das eleições à presidência, previstas para abril e maio.

Após uma série de idas e vindas com o Senado, os deputados franceses aprovaram por 118 votos a favor, 89 contrários e uma abstenção a medida proposta pelo governo e que os senadores haviam rejeitado na última quinta-feira (4).

"A situação sanitária e sua evolução nos próximos meses justificam completamente", afirmou antes da votação o secretário de Estado, Adrien Taquet, em nome do Executivo, referindo-se a um eventual aumento de contágios por Covid-19.

O Senado e a oposição defendiam a prorrogação até 28 de fevereiro, para obrigar o governo a apresentar a medida novamente a deputados e senadores antes das eleições. Partidos opositores já anunciaram um recurso ao Conselho Constitucional.

O passaporte sanitário é obrigatório desde o verão (hemisfério norte, inverno no Brasil) em locais que recebem mais de 50 pessoas, assim como bares, restaurantes, hospitais (exceto emergências) e shoppings.

Os cidadãos da França podem obter o documento, se estiverem completamente vacinados contra a Covid-19, ou apresentarem um teste negativo. Desde outubro, este exame é pago pelas pessoas que não tomaram a vacina.

Últimas