Guerra Israel x Hamas

Internacional Governo do Catar afirma que 13 reféns do grupo terrorista Hamas serão soltos na sexta-feira

Governo do Catar afirma que 13 reféns do grupo terrorista Hamas serão soltos na sexta-feira

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, serão liberadas mulheres e crianças com ligação familiar

  • Internacional | Do R7

Familiares de pessoas sequestradas por terroristas protestam em Israel

Familiares de pessoas sequestradas por terroristas protestam em Israel

Shir Torem/Reuters - 23.11.2023

O Ministério das Relações Exteriores do Catar, país que faz a intermediação do acordo para a libertação de reféns entre Israel e o grupo terrorista Hamas, anunciou nesta quinta-feira (23) que 13 capturados serão soltos a partir das 16h (11h, no horário de Brasília) de sexta-feira (24). 

"Serão 13 no total, todas mulheres e crianças, e os reféns que são membros da mesma família serão colocados juntos no mesmo grupo", informou o porta-voz do ministério, Majed Al-Ansari, em entrevista coletiva. 

Questionado sobre o local onde ocorrerá a libertação, o representante do governo do Catar disse que não poderia fornecer detalhes, mas garantiu que o transporte dessas pessoas será feito em um "local seguro" e que elas "vão chegar em segurança para as suas famílias". As negociações já previam que a Cruz Vermelha fará a retirada deles da Faixa de Gaza. 

O acordo para a libertação dos reféns envolve, inicialmente, a soltura de 50 indivíduos capturados em Israel durante os ataques terroristas de 7 de outubro, em troca de pelo menos 150 presos palestinos — Israel chegou a divulgar uma lista prévia com 300 nomes — e uma trégua de quatro dias, que entra em vigor às 7h (2h, em Brasília) de amanhã. 

"As listas [de nomes de pessoas a serem libertadas] foram entregues a ambos os lados, e, finalmente, agora, a lista foi entregue ao serviço de inteligência israelense, o Mossad, para facilitar a implementação do acordo", afirmou Al-Ansari.

A expectativa é que haja a soltura de pessoas sequestradas pelos próximos cinco dias, mas o oficial do governo do Catar disse não ter informações sobre como isso ocorrerá, exceto amanhã. 

Observadores vão acompanhar se a trégua das hostilidades, dos dois lados, na Faixa de Gaza será respeitada, acrescentou o porta-voz. 

Questionado sobre o atraso, já que o acordo estava previsto para entrar em vigor hoje, Al-Ansari disse que os termos foram alinhados e que o Catar está "esperançoso" de que os ataques serão cessados a partir das 7h. 

"Ficamos felizes em informar que as discussões ocorreram em um ambiente positivo, onde ambas as partes mostraram seu compromisso com o próprio acordo."

Esse será o maior grupo de reféns dos terroristas do Hamas a ser solto desde o início da guerra. Anteriormente, foram libertadas duas mulheres americanas (mãe e filha) e duas idosas israelenses. O Exército de Israel também conseguiu resgatar uma soldado que havia sido levada pelos extremistas. 

'Túnel do terror', localizado sob mesquita em Gaza, leva militares israelenses a esconderijo do Hamas

Últimas