Internacional Grécia elege um judeu para prefeito pela primeira vez na história

Grécia elege um judeu para prefeito pela primeira vez na história

Cidade de Janina, no noroeste do país, elegeu o professor universitário Moisés Elisaf, que venceu o atual prefeito por apenas 0,3% dos votos no 2º turno

Grécia elege um judeu para prefeito pela primeira vez na história

Elisaf é o primeiro prefeito judeu da história da Grécia

Elisaf é o primeiro prefeito judeu da história da Grécia

Reprodução via Facebook

O independente Moisés Elisaf será o primeiro prefeito judeu na história da Grécia, depois de vencer neste domingo (3) o segundo turno das eleições locais na cidade de Janina, no noroeste do país.

Elisaf conquistou a prefeitura com um resultado apertado de 50,3%, após ter ficado em segundo no primeiro turno de 26 de maio, sete pontos percentuais atrás do prefeito em fim de mandato, Zomás Begas.

Leia também: A história do tsunami que decidiu uma guerra na Grécia antiga

"A sociedade local rejeitou os estereótipos e o discurso racista e avaliou com critérios objetivos o nosso programa", declarou Elisaf à Agência Efe.

O prefeito recém-eleito ressaltou que, embora ninguém tenha utilizado de forma oficial um discurso antissemita durante a campanha eleitoral, algumas personalidades locais tentaram convencer os eleitores a não votar nele utilizando sua raça e credo como argumento.

Segundo Elisaf, até agora não houve outros judeus em cargos similares porque sua comunidade conta com apenas 5 mil pessoas na Grécia.

Nascido em Janina em 1954, Elisaf é professor da Faculdade de Medicina local e foi líder da comunidade judaica local durante 17 anos. Além disso, atualmente é membro da executiva do Conselho Central Judaico da Grécia.

Até a explosão da Segunda Guerra Mundial, a comunidade judaica de Janina foi com seus 2 mil membros a maior de romaniotas — judeus helenófonos, em muito menor número que os sefarditas, que chegaram à península helena no início do século XVI e falavam ladino (idioma também conhecido como judeu-espanhol) — e está na região há pelo menos mil anos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, 1.850 judeus de Janina foram deportados a campos de concentração e apenas 163 retornaram vivos.

Atualmente, a comunidade judaica de Janina conta com apenas meia centena de membros em uma população de 80.000 moradores.

O discurso antissemita foi comum na Grécia inclusive antes do crescimento — por causa da crise econômica — do partido neonazista Amanhecer Dourado. O cemitério e a sinagoga de Janina foram vandalizados em várias ocasiões.