Internacional Hamas diz que trégua de longa duração com Israel 'é iminente'

Hamas diz que trégua de longa duração com Israel 'é iminente'

Chefe de inteligência do Egito e mediador, Abbas Kamel, teria se reunido esta semana em Tel Aviv com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu

israel, palestina, hamas, trégua

Não há declarações oficiais sobre nenhum ponto

Não há declarações oficiais sobre nenhum ponto

Getty Images/David Silverman/19-10-06

Um dos líderes do movimento islamita Hamas, que governa 'de facto' a Faixa de Gaza, garantiu nesta sexta-feira que "é iminente" uma trégua de longa duração com Israel, na qual trabalha o Egito com apoio da ONU.

Khalil al Hayya, chefe adjunto do Hamas em Gaza, garantiu para os veículos de imprensa que as negociações sobre o acordo "estão prestes a terminar rompendo o bloqueio ou, pelo menos, aliviando-o significativamente".

Os esforços, apoiados pela ONU e o Catar, estão "muito próximos de chegar a um pacto que consiga trazer calma para a Faixa de Gaza", disse Hayya.

O dirigente do Hamas afirmou que as conversas que acontecem no Cairo, onde se encontram delegações de várias facções palestinas, entre elas o próprio Hamas, se baseiam no cessar-fogo mediado pelo Egito que pôs fim ao conflito entre Israel e as milícias palestinas em Gaza em 2014.

O chefe de inteligência do Egito e mediador no processo, Abbas Kamel, teria se reunido esta semana em Tel Aviv com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e outros responsáveis de segurança, para abordar o processo.

De acordo com fontes palestinas, Kamel também teria uma reunião prevista com o presidente palestino e líder do partido nacionalista Al Fatah, Mahmoud Abbas, mas esse encontro não foi confirmado.

Abbas não participou das negociações com o restante das facções porque se opôs a pactuar uma trégua com Israel sem a presença da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Por enquanto, não há declarações oficiais sobre nenhum ponto, mas funcionários israelenses citados pelo jornal "Haaretz" afirmaram que a trégua incluiria seis passos.

"Cessar-fogo integral; reabertura das passagens com Gaza e a expansão da área de pesca permitida; assistência médica e humanitária; resolução do problema dos soldados capturados; os civis desaparecidos e os prisioneiros; ampla reconstrução da infraestrutura em Gaza com recursos estrangeiros, e diálogo sobre os portos marítimos e aéreos em Gaza", enumeraram os funcionários israelenses.