Eleição na Argentina

Internacional 'Hoje começa o fim da decadência argentina', diz Javier Milei em seu 1º discurso como presidente eleito

'Hoje começa o fim da decadência argentina', diz Javier Milei em seu 1º discurso como presidente eleito

Candidato ultraliberal teve aproximadamente 14,5 milhões de votos, 55,7% da preferência do eleitorado, segundo dados oficiais

  • Internacional | Do R7

Javier Milei discursa a apoiadores após vencer as eleições presidenciais argentinas

Javier Milei discursa a apoiadores após vencer as eleições presidenciais argentinas

REUTERS/Agustin Marcarian - 19/11/2023

Javier Milei disse, na noite deste domingo (19), em seu primeiro discurso como presidente eleito da Argentina, que "hoje começa o fim da decadência da Argentina" e "começa a reconstrução [do país]". "Hoje é uma noite histórica. Começamos a virar a página da nossa história e a deixar para trás o modelo empobrecedor", disse ele no Hotel Libertador, em Buenos Aires, para onde foi após a votação para aguardar o resultado das eleições.

Milei também agradeceu a irmã, Karina, e disse que "sem ela nada disso teria acontecido". O ultraliberal, que toma posse em 10 de dezembro, também agradeceu o apoio recebido pelo ex-presidente argentino Mauricio Macri e a ex-candidata à presidente da argentina, Patricia Bullrich, que ficou em terceiro lugar na disputa eleitoral deste ano.

Milei, da frente La Libertad Avanza, venceu o segundo turno das eleições presidenciais argentinas de 2023 com aproximadamente 14,5 milhões de votos, o equivalente a 55,7% da preferência do eleitorado.

Sergio Massa, candidato da frente governista Unión por la Patria, recebeu 44,27% dos votos argentinos (11,46 milhões de votos). Massa se antecipou ao anúncio dos números e fez um pronunciamento antes das 20h reconhecendo a derrota. "Já falei com Milei, que é o presidente que a maioria escolheu", afirmou o peronista.

Dos 38,5 milhões de argentinos aptos a votar, 76,32% compareceram às urnas, ou 26,77 milhões de pessoas. Os votos em branco somaram 416.076 (1,55% do total), enquanto os votos nulos somaram 437.410 (1,62% do total); 98,93% das urnas haviam sido apuradas.

O segundo turno eleitoral foi disputado entre os dois candidatos a presidente mais votados nas eleições gerais de 22 de outubro. Naquela ocasião, o atual ministro da Economia obteve 36,7% (9.853.492 votos), e o deputado nacional, 29,9% (8.034.990 votos).

A apuração definitiva começará 48 horas após a conclusão das eleições. É realizada pela Justiça Nacional Eleitoral a partir das atas de cada mesa de votação e é o resultado oficial da eleição.

Apoiadores de Javier Milei celebram vitória do ultraliberal, eleito novo presidente da Argentina

Últimas