Internacional Homem atira e mata aos menos três pessoas em jardim de infância na Rússia antes de cometer suicídio

Homem atira e mata aos menos três pessoas em jardim de infância na Rússia antes de cometer suicídio

Vítimas são duas crianças e uma professora; de acordo com agências locais, causa do ataque pode ser um conflito familiar

  • Internacional | Do R7

Um homem abriu fogo em um jardim de infância na região central da Rússia

Um homem abriu fogo em um jardim de infância na região central da Rússia

Nacho Doce/Reuters - 31.03.2022

Um homem abriu fogo nesta terça-feira (26) em um jardim de infância na região de Ulianovsk, no centro da Rússia, matando pelo menos três pessoas, antes de cometer suicídio, informaram autoridades regionais e a agência de notícias Interfax.

"De acordo com informações preliminares, houve tiros em um jardim de infância. Duas crianças foram mortas, uma professora e também o agressor", disse à AFP Dmitri Kamal, porta-voz da região de Ulianovsk.

Ele especificou que a idade das crianças não é conhecida, mas que provavelmente têm "entre 3 e 6 anos", e disse que os investigadores estão no local.

De acordo com agências de notícias russas, citando a polícia, "a causa do tiroteio pode ser um conflito familiar".

O vice e ex-governador da região, Sergei Morozov, disse à agência de imprensa Ria Novosti que uma jovem professora e duas crianças nascidas em 2016 e 2018 morreram.

A rede Telegram Baza, conhecida por suas relações com as forças de segurança, informou que o homem entrou na escola na hora da sesta (cochilo após o almoço), armado com um fuzil de caça.

Tiroteios mortais, especialmente em escolas, aumentaram nos últimos anos na Rússia. O presidente Vladimir Putin tem se alarmado com essa situação, vendo nela um fenômeno importado dos Estados Unidos e um efeito perverso da globalização, que levou a uma legislação mais dura sobre o porte de armas.

Em setembro de 2021, um estudante de 18 anos fez disparos com um rifle de caça na Universidade de Perm, nos Urais, deixando seis mortos e cerca de 30 feridos.

Em maio de 2021, um jovem de 19 anos abriu fogo em sua antiga escola, matando sete alunos. O tiroteio mais sangrento ocorreu em outubro de 2018, quando um estudante matou 19 pessoas antes de cometer suicídio em uma escola em Kerch, na península anexa da Crimeia.

Últimas