Internacional Homem é condenado a cinco anos de prisão por ataque ao Capitólio

Homem é condenado a cinco anos de prisão por ataque ao Capitólio

Apoiador do ex-presidente Donald Trump atirou objetos como paus e extintores de incêndio contra policiais no dia do incidente

AFP
Centenas de pessoas foram indiciadas por invasão do Capitólio

Centenas de pessoas foram indiciadas por invasão do Capitólio

Shannon Stapleton/Reuters - 06.01.2021

Um apoiador de Donald Trump foi condenado a cinco anos de prisão por atirar objetos contra a polícia durante o ataque ao Capitólio, a punição mais severa até agora aplicada no âmbito da investigação dos eventos violentos de 6 de janeiro.

Robert Scott Palmer, de 54 anos, foi visto em diversos vídeos e fotos vestindo uma jaqueta estampada com a bandeira americana, decorada com remendos pró-Trump, e um chapéu com a legenda "Florida for Trump" (Flórida com Trump, em tradução livre), quando jogava pedaços de pau, um extintor de incêndio e outros objetos contra policiais do lado de fora do Capitólio.

O homem tentou entrar no Congresso, mas foi impedido por policiais que borrifaram seu rosto com spray de pimenta. Depois disso, Palmer continuou a atirar objetos nos policiais, até ser atingido por uma bala de borracha.

A juíza federal Tanya Chutkan rejeitou os argumentos de Palmer, que pediu clemência por sua infância conturbada e apresentou um pedido de desculpas manuscrito, no qual afirmava que ele e outros apoiadores haviam sido enganados pelo ex-presidente e induzidos a atacar a sede do Congresso.

O homem chamou o ataque fracassado de uma "tentativa desesperada e tirânica de permanecer no poder". Disse também que havia percebido que "os apoiadores de Trump nos enganaram".

Os promotores do caso disseram que, embora Palmer tenha se confessado culpado em 4 de outubro, ele continuou a defender suas ações, chamando os policiais de agressores em um site de arrecadação de fundos.

"Palmer se juntou intencionalmente a um grupo de sabotadores com o objetivo específico de interferir no processo eleitoral do país", acusaram os promotores ao tribunal no memorando de sentença.

“A violência de Palmer ocorreu deliberadamente em busca de um objetivo político, para subverter uma eleição democrática e a transição pacífica de poder”, acrescentaram no documento.

As sentenças anteriores mais severas para o ataque ao Capitólio foram de 41 meses, para dois homens acusados de obstruir um procedimento oficial, mas não de atacar as forças de segurança.

Mais de 700 pessoas foram indiciadas por participação no ataque, a maioria delas por delitos menores, como entrar ilegalmente no recinto. No entanto, outras dezenas são acusadas de agressão e porte de armas, além de conspiração, o que levaria a penas mais graves.

Últimas