Internacional Inundações matam 37 pessoas na Coreia do Sul

Inundações matam 37 pessoas na Coreia do Sul

Além dos mortos, cerca de nove pessoas permanecem desaparecidas

AFP
Cerca de nove pessoas estão desaparecidas

Cerca de nove pessoas estão desaparecidas

EFE/EPA/YONHAP SOUTH KOREA OUT

Equipes de resgate se esforçaram para alcançar pessoas presas em um túnel inundado na Coreia do Sul no domingo (16), onde pelo menos 37 pessoas morreram e nove estão desaparecidas depois que fortes chuvas provocaram inundações e deslizamentos de terra.

A Coreia do Sul está no auge da temporada de monções de verão, com fortes chuvas nos últimos quatro dias, causando o transbordamento de uma grande barragem.

O Ministério do Interior informou que 37 pessoas morreram e outras nove estão desaparecidas em todo o país, devido às fortes chuvas.

A maioria das vítimas eram residentes da província de Gyeongsang do Norte.

Centenas de equipes de resgate ainda lutam para alcançar mais de 10 carros e um número desconhecido de pessoas presas em um túnel subterrâneo de 430 metros em Cheongju, província de Chungcheong do Norte, disse o ministério.

Quando a AFP chegou ao local no domingo, as equipes de resgate tentavam drenar o túnel para chegar às vítimas, mas a água ainda parecia muito profunda, dificultando as buscas.

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

Segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap, um túnel subterrâneo foi inundado na manhã de sábado, com o aumento das águas impedindo que as pessoas escapassem.

Evacuação

Cinco pessoas foram resgatadas de um ônibus no túnel no sábado e nove corpos foram removidos do local, com mergulhadores trabalhando dia e noite para procurar mais vítimas, disse o Ministério do Interior.

A polícia recebeu relatos de 11 pessoas desaparecidas que se acredita estarem no túnel, mas o número oficial final ainda não é conhecido, pois não está claro quantas pessoas estavam em cada carro, informou a Yonhap.

Imagens transmitidas pela televisão local mostraram uma torrente de água de um rio próximo que transbordou e inundou o túnel, enquanto as equipes de resgate lutavam para usar barcos para alcançar as pessoas dentro.

O presidente sul-coreano, Yoon Suk Yeol, que está em viagem ao exterior, realizou uma reunião de emergência com seus assessores sobre a resposta do governo às fortes chuvas e inundações, informou seu gabinete.

Anteriormente, ele ordenou ao primeiro-ministro Han Duck-soo que mobilizasse todos os recursos disponíveis para minimizar as baixas.

Nas áreas mais atingidas, "casas inteiras foram varridas", disse uma equipe de resgate à Yonhap.

As autoridades ordenaram a evacuação de mais de 6.400 habitantes do município central de Goesan na manhã deste sábado, devido ao perigo da barragem que começou a transbordar e submergir povoações próximas.

As chuvas também causaram a suspensão do serviço ferroviário a partir das 14h (05h00 GMT), com exceção dos trens-bala que continuarão operando com possíveis ajustes de horário, segundo a Korea Railway Corporation.

Últimas