Internacional Israel acusa Irã de mentir para o mundo sobre programa nuclear

Israel acusa Irã de mentir para o mundo sobre programa nuclear

Primeiro-ministro israelense afirma que os iranianos estão violando obrigações sobre o desenvolvimento de armas nucleares

AFP
Irã estaria mentindo sobre seu programa nuclear, afirma primeiro-ministro israelense

Irã estaria mentindo sobre seu programa nuclear, afirma primeiro-ministro israelense

EFE/EPA/JIM HOLLANDER

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennet, acusou o Irã, nesta sexta-feira (10), de continuar "mentindo para o mundo" sobre seu programa nuclear, poucos dias após a publicação de um relatório da AIEA que criticava a falta de cooperação de Teerã.

"Israel considera que a imagem refletida no relatório (da Agência Internacional de Energia Atômica, AIEA) é extremamente séria, o que mostra que o Irã continua mentindo para o mundo e promove um programa de desenvolvimento de armas nucleares, violando suas obrigações internacionais", disse Bennet em um comunicado.

A AIEA constatou em um relatório divulgado na terça-feira que o Irã havia "dificultado seriamente", desde fevereiro de 2021, "suas atividades de monitoramento e controle" com a interrupção das inspeções pela agência da ONU.

Em sua declaração, o primeiro-ministro israelense apelou à comunidade internacional para "agir", já que "se mostrou sem fundamento a esperança de que o Irã esteja disposto a mudar de rumo graças às negociações".

"Somente uma posição firme da comunidade internacional, apoiada por decisões e ações, pode conseguir uma mudança de rumo para o regime de Teerã", acrescentou.

Leia mais: Nascido no 11/9, jovem salvou o tio que estaria no World Trade Center

Como seu antecessor, Benjamin Netanyahu, Bennet acusa o Irã de tentar se equipar com uma bomba atômica, acusações negadas pela República Islâmica.

O acordo de 2015 exigia que o Irã reduzisse drasticamente seu programa nuclear em troca do levantamento das sanções, mas o Estados Unidos saiu unilateralmente do pacto em 2018 e, desde então, Teerã começou a violá-lo.

Últimas