Internacional Israel anuncia 4ª dose da vacina para idosos e profissionais da saúde

Israel anuncia 4ª dose da vacina para idosos e profissionais da saúde

País será o primeiro a aplicar uma segunda dose de reforço, enquanto adota medidas de restrição a viagens ao exterior

AFP
Restrições a viagens entrarão em vigor em Israel nesta quarta-feira (22)

Restrições a viagens entrarão em vigor em Israel nesta quarta-feira (22)

Gil Cohen-Magen/AFP - 21.12.2021

O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, anunciou nesta terça-feira (21) que tanto os profissionais da saúde como os maiores de 60 anos poderão ter acesso a uma quarta dose da vacina contra a Covid-19, como recomenda o painel de especialistas que assessora o governo.

"Os cidadãos de Israel foram os primeiros do mundo a receber uma terceira dose da vacina contra a Covid-19, e seguimos na vanguarda, com a quarta dose", declarou Bennett em um comunicado divulgado por seu gabinete, chamando as pessoas que cumprem os requisitos a se vacinar.

A declaração foi divulgada após uma reunião do conselho de ministros sobre a pandemia, enquanto cresce a preocupação com o aumento de casos de Covid-19 devido à variante Ômicron.

O primeiro-ministro acatou a decisão do painel de especialistas como "uma grande notícia". Segundo ele, a nova medida "nos ajudará a superar a propagação da variante Ômicron, que assola o mundo".

Pessoas imunossuprimidas também poderão receber a quarta dose, assim como maiores de 60 anos e profissionais da saúde, pelo menos quatro meses após a terceira injeção, informou o Ministério da Saúde em nota.

Mais de 4,1 milhões de israelenses receberam três doses da vacina contra o coronavírus nesse país de 9,3 milhões de habitantes.

Nesta terça-feira, Israel acrescentou os Estados Unidos e outros países à lista de destinos considerados de risco, aos quais impõe uma proibição de viagem devido à Covid-19.

As restrições, que já atingiam a França, o Reino Unido e a maioria dos países africanos, entrarão em vigor nesta quarta-feira (22) e serão mantidas até 29 de dezembro, segundo a porta-voz do comitê parlamentar, Ronit Gal.

Últimas