Internacional Itália: morte de prostitutas levanta hipótese de assassino em série

Itália: morte de prostitutas levanta hipótese de assassino em série

Duas vítimas chinesas e uma colombiana foram encontradas com ferimentos na cabeça e sinais de esfaqueamento, em Roma 

AFP

Resumindo a Notícia

  • Três prostituas morreram nesta quarta-feira (17) em Roma, na Itália
  • As mortes levantam a hipótese da presença de um assassino em série na capital italiana
  • Duas vítimas eram chinesas, enquanto a terceira era colombiana
  • Os corpos foram encontrados com ferimentos na cabeça e lesões causadas por faca
Polícia da Itália está investigando o caso

Polícia da Itália está investigando o caso

Miguel Medina/AFP - 10.11.2022

O assassinato nesta quinta-feira (17) de três prostitutas, incluindo uma sul-americana, cujos corpos foram encontrados em um bairro residencial de Roma, a capital da Itália, soou o alarme na cidade.

As três vítimas foram mortas a facadas, segundo a imprensa italiana. Os jornais Il Messaggero e La Repubblica chegaram a alertar para a presença de um possível "assassino em série" na capital italiana.

Os corpos de duas das vítimas, ambas de nacionalidade chinesa, foram encontrados no fim da manhã em um edifício do bairro de Prati, um dos mais exclusivos de Roma.

O corpo da sul-americana, que o jornal Il Corriere della Sera identifica como colombiana, foi encontrado em um apartamento no mesmo bairro, uma hora depois, com uma facada no abdômen, informou a polícia à AFP.

As três eram "provavelmente profissionais do sexo", disseram os agentes.

O corpo nu de uma das chinesas foi descoberto por um vizinho do lado de fora de um apartamento. A mulher, de 40 anos, sofreu ferimentos na cabeça e no estômago, segundo a imprensa.

Ao chegarem, os policiais encontraram o corpo da segunda vítima. Ninguém no prédio ouviu gritos, segundo os vizinhos.

"Todo mundo sabia que havia um bordel ali, porque dava para ver as pessoas chegando até às 2h da manhã", revelou um morador do prédio.

A vítima colombiana era uma mulher transgênero de 65 anos, cujo corpo foi descoberto por um amigo, segundo o Corriere della Sera.

A polícia investiga os registros telefônicos das vítimas para saber se há ligação entre elas e analisa as câmeras de segurança da região, conhecida como "bairro dos advogados", por ser próxima a um tribunal.

Últimas