Internacional Jornalista russo vende medalha do Nobel da Paz para ajudar refugiados ucranianos

Jornalista russo vende medalha do Nobel da Paz para ajudar refugiados ucranianos

Prêmio foi um reconhecimento pela luta por liberdade de expressão; item será leiloado no Dia Mundial do Refugiado

Jornalista russo e ganhador do Nobel da Paz, Dmitry Muratov

Jornalista russo e ganhador do Nobel da Paz, Dmitry Muratov

Maxim Shemetov/Reuters - 08/10/2021

O jornalista russo e ganhador do Nobel da Paz Dmitry Muratov está leiloando sua medalha do Nobel para ajudar refugiados ucranianos, em meio à erradicação da mídia independente na Rússia, onde ele diz que cada vez menos pessoas apoiam a campanha militar de Vladimir Putin.

Muratov é cofundador e editor-chefe de longa data do Novaya Gazeta, um jornal crítico do Kremlin que foi criado em 1993 com dinheiro do Prêmio Nobel da Paz do ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev.

Durante anos, desafiou as restrições mais rígidas à mídia dissidente, mas em março finalmente suspendeu suas atividades online e impressas depois que se tornou um crime, punível com 15 anos de prisão, publicar qualquer matéria sobre o conflito que se desviasse da linha do governo.

"Meu país invadiu outro Estado, a Ucrânia. Há agora 15,5 milhões de refugiados... Pensamos por muito tempo sobre o que poderíamos fazer... e pensamos que todos deveriam dar algo caro a eles, importante para eles", disse em entrevista à Reuters.

Leiloar a medalha de ouro significa que ele compartilha de alguma forma o destino dos refugiados que perderam suas lembranças e "seu passado", afirma Muratov. "Agora eles querem tirar seu futuro, mas precisamos garantir que seu futuro seja preservado... a coisa mais importante que queremos dizer e mostrar é que a solidariedade humana é necessária."

A medalha de Muratov será vendida pela Heritage Auctions em 20 de junho, Dia Mundial do Refugiado, com o apoio do comitê do prêmio.

O prêmio foi concedido no ano passado a Muratov e Maria Ressa, uma jornalista das Filipinas, um endosso ao direito à liberdade de expressão que está em perigo em todo o mundo.

Muratov dedicou seu prêmio a seis jornalistas do Novaya Gazeta assassinados por causa do trabalho que realizavam, entre eles alguns dos mais destacados críticos do presidente Vladimir Putin.

Últimas