Internacional Justiça de Angola manda rebeldes devolverem templos à Universal

Justiça de Angola manda rebeldes devolverem templos à Universal

Desde novembro do ano passado, instituição é alvo ex-pastores, que usam da violência física, xenofobia e perseguição religiosa para tomar os prédios

  • Internacional | Do R7

Justiça de Angola mandou rebeldes devolverem templos

Justiça de Angola mandou rebeldes devolverem templos

Reprodução

A Justiça de Angola determinou nesta quinta-feira (1º) a imediata devolução de templos, que foram tomados por dissidentes, à Igreja Universal. Os dois prédios recuperados estão localizados nas províncias de Lunda Norte e Benguela.

A Universal é alvo, desde novembro de 2019, de um conjunto de ações de ex-pastores, que se intitulam de “Comissão de Reforma da IURD”. Eles são acusados de praticar vários crimes graves, incluindo violência física, psicológica, ameaças, atos xenofóbicos, difamações, perseguição religiosa, entre outros.

O juiz da província de Lunda Norte argumentou em sua decisão que, para obter a restituição da posse, “o requerente não precisa alegar e provar que corre um risco, [...] basta que alegue e prove a posse, o esbulho e a violência, pois o benefício da providência é concedido”.

“Nestes termos, considero a posse da requerente Igreja Universal do Reino de Deus com demais sinais de identificação nos autos e a violência do esbulho [....]. Decreto a providência cautelar de Restituição Provisória de Posse, da Igreja Universal do Reino de Deus, legítima proprietária”, assinalou.

A Justiça de Benguela destacou que “em nome do povo, julgo procedente [...] e ordeno a restituição provisória da posse de imóvel [...] nesta cidade de Benguela, ocupado pelos senhores Adélio dos Santos, Alberto Manuel Antônio, Domingos Pedro Clemente, Hamilton da Silva Gomes, Manuel João, Piter Adão Cristóvão e Sergio Silvestre.”

Ilegalidades

Em nota, a Universal enfatizou que "as diversas ilegalidades começaram a serem sancionadas pelos Tribunal Judiciais Angolanos".

"A Igreja Universal do Reino de Deus, seus Membros, Obreiros, Pastores e Bispos, sempre acreditamos que o estado de direito iria prevalecer diante de tais  atos,  por isso, esperamos confiantes na justiça humana e principalmente na justiça do nosso Deus, pois esta escrito: 'Não fará Deus Justiça aos seus escolhidos que a eles clamam  de dia e de noite, ainda que  tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Lucas 18:7,8'."

Últimas