Internacional Justiça eleitoral do Peru prepara proclamação do novo presidente

Justiça eleitoral do Peru prepara proclamação do novo presidente

Após fim de recursos, Keiko Fujimori disse que irá reconhecer a vitória do esquerdista Pedro Castillo na eleição de 6 de junho

AFP
Keiko disse que irá reconhecer resultado que dá vitória a Pedro Castillo no Peru

Keiko disse que irá reconhecer resultado que dá vitória a Pedro Castillo no Peru

Martin Mejia, Cesar Bazan / X07403 / AFP

O Júri Nacional Eleitoral (JNE) do Peru anunciou nesta segunda-feira (19) que concluiu a revisão das impugnações de votos e apelações e se prepara para proclamar o novo presidente do país, sem confirmar a vitória do candidato de esquerda, Pedro Castillo, na votação de 6 de junho.

Leia também: Justiça Eleitoral do Peru indefere recursos de partido de Fujimori

Após seis semanas de espera, a apuração atualizada de 100% das atas do órgão eleitoral (Onpe) dá a vitória a Castillo, com 50,12% dos votos, contra 49,87% para a direitista Keiko Fujimori. Ela anunciou hoje que irá reconhecer o resultado.

A filha do ex-presidente preso Alberto Fujimori havia denunciado uma suposta fraude em favor de Castillo, sem apresentar provas, apesar de os observadores da OEA, dos Estados Unidos e da União Européia terem afirmado que a votação foi limpa.

O JNE informou no Twitter que, após declarar "por unanimidade a improcedência das cinco apelações apresentadas pelo partido Força Popular, proceder-se-á à elaboração da ata de proclamação dos resultados gerais". “Da mesma forma, o JNE procederá à organização imediata da cerimônia de entrega de credenciais à chapa correspondente, que será marcada para esta semana", acrescentou.

Castillo obteve 44.263 votos a mais do que a adversária, segundo a contagem atualizada do Onpe, mas o JNE, de quatro membros, tem a última palavra.

'Irei reconhecer os resultados'

Keiko, que deve ir a julgamento por lavagem de dinheiro se não conquistar a presidência, anunciou nesta segunda-feira que reconhecerá os resultados do JNE. “Honrando meus compromissos, meu compromisso com todos os peruanos, com Mario Vargas Llosa, com a comunidade internacional, irei reconhecer os resultados, porque é o que mandam a lei e a Constituição que jurei defender", afirmou em entrevista coletiva.

Vargas Llosa, 85, apoiou ativamente da Espanha a líder de direita, embora no passado tenha sido um opositor ferrenho de Fujimori.

“Peço aos peruanos que não desistam e ponham em prática uma defesa democrática” ante um eventual governo Castillo, expressou Keiko, que chama o rival de comunista, embora o mesmo o tenha negado.

O novo presidente deve tomar posse no próximo dia 28, quando termina o mandato do presidente interino, Francisco Sagasti, e dia em que o Peru irá comemorar o bicentenário da independência.

Últimas