Crise no Peru

Internacional Justiça peruana se recusa a libertar ex-presidente Pedro Castillo

Justiça peruana se recusa a libertar ex-presidente Pedro Castillo

Político foi preso na última semana por 'rebelião' e 'conspiração' após tentar fechar o Congresso e decretar estado de exceção

AFP

Resumindo a Notícia

  • Justiça do Peru negou liberdade ao ex-presidente do país Pedro Castillo
  • Segundo o juiz que julgou o pedido, Castillo só poderia mover ação a partir do sétimo dia
  • Castillo foi preso após tentar fechar o Congresso e decretar estado de exceção no país
Manifestantes protestam contra prisão de Castillo: 'Libertem o presidente do povo'

Manifestantes protestam contra prisão de Castillo: 'Libertem o presidente do povo'

Liz Taza/AFP - 13.12.2022

A Justiça do Peru disse nesta terça-feira (13) que o ex-presidente Pedro Castillo, acusado de "rebelião" e "conspiração" em flagrante após um autogolpe fracassado, permanecerá preso em uma base policial de Lima, capital do país.

O juiz César San Matín decidiu, após uma audiência virtual, "declarar improcedente o recurso interposto pela defesa do réu", que pediu a soltura antes que expirassem os sete dias de prisão preventiva.

Na sentença, o magistrado afirma que existe risco de fuga, já que Castillo tentou chegar à embaixada do México para pedir asilo.

O ex-presidente esquerdista permanecerá detido na sede da Dinoes (Direção Nacional de Operações Especiais), no leste de Lima, até quarta-feira (14).

Os sete dias de prisão preventiva impostos na semana passada a Castillo são contados de forma corrida a partir do momento de detenção, em 7 de dezembro, explicou à AFP uma fonte do Judiciário.

A resolução judicial que declara sem fundamento o recurso abre caminho para o Ministério Público apresentar um novo pedido de prisão preventiva contra Castillo.

A lei peruana permite determinar até 36 meses de prisão preventiva em casos complexos e com risco de fuga.

Últimas