Reino Unido

Internacional Líderes mundiais se manifestam sobre proibição do aborto nos EUA

Líderes mundiais se manifestam sobre proibição do aborto nos EUA

Decisão da Suprema Corte do país foi alvo de críticas do premiê britânico, Boris Johnson, e do chefe da OMS, Tedros Adhanom 

  • Internacional | Do R7, com informações da Reuters

Resumindo a Notícia

  • A decisão da Suprema Corte dos EUA repercutiu entre lideranças mundiais
  • Premiê do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou que é um "grande passo para trás" nos EUA
  • Chefe da OMS, Tedros Adhanom, disse estar "desapontado" com a decisão da Suprema Corte
Manifestantes protestam contra decisão da Suprema Corte dos EUA

Manifestantes protestam contra decisão da Suprema Corte dos EUA

Anna Moneymaker/Getty Images North America/Getty Images via AFP - 24.6.2022

Líderes mundiais se pronunciaram nesta sexta-feira (24) sobre a decisão da Supresma Corte dos Estados Unidos de anular o marco histórico de 1973, no caso conhecido como Roe vs Wade, que reconhecia o direito constitucional da mulher ao aborto.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, declarou que a decisão da Suprema Corte americana foi um "grande passo para trás".

"É uma decisão muito importante. Devo dizer a vocês, acho que é um grande passo para trás", afirmou ele em entrevista coletiva em Kigali, onde participa de uma reunião da Commonwealth. “Sempre acreditei no direito de uma mulher escolher, e mantenho essa visão, e é por isso que o Reino Unido tem as leis que tem.”

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que estava muito decepcionado com a decisão da Suprema Corte.

"Estou muito desapontado, porque os direitos das mulheres devem ser protegidos. E eu esperava que os Estados Unidos protegessem esses direitos", disse Tedros à Reuters, à margem de uma cúpula em Ruanda.

Últimas