Internacional Mais procurado da Bolívia, suspeito de morte de casal é preso em SP

Mais procurado da Bolívia, suspeito de morte de casal é preso em SP

Carla e Jesus foram encontrados mortos em sacos de farinha no interior de um túnel com marcas pelo corpo. Carla foi alvo de violência sexual

Eliot Leon Fernandez, preso nesta sexta-feira (26) em Santo André

Eliot Leon Fernandez, preso nesta sexta-feira (26) em Santo André

Divulgação/PM

Eliot Leon Fernandez, foragido mais procurado da Justiça boliviana, foi preso na madrugada desta sexta-feira (26) por uma equipe da Polícia Militar em Santo André, na Grande São Paulo.

Eliot e seu irmão Israel, preso na Bolívia, são acusados de cometer o duplo homicídio do casal de jovens Carla e Jesus durante a madrugada de Ano Novo em La Paz, capital da Bolívia.

O crime abalou o país e chegou a mobilizar centenas de policiais à procura de Eliot e provocou o pronunciamento do presidente da república Evo Morales, pedindo todo o rigor da lei para os acusados.


A prisão

O sargento Rego, da Força Tática da PM de Santo André, confirmou ao R7 que uma denúncia anônima levou sua equipe até uma residência no bairro Recreio Borda do Campo, onde foram recebidos por uma família de amigos que abrigava o fugitivo. Eles disseram desconhecer os crimes dos quais é acusado.

Eliot não ofereceu resistência e confessou aos policiais que participou do crime, mas tentou transferir a responsabilidade da morte do casal ao irmão Israel que se encontra preso numa penitenciária na Bolívia. Ele disse aos policiais que Jesus, uma das vítimas, tentou enforcá-lo e que seu irmão, Israel, bateu na cabeça dele com uma barra de ferro.

A equipe da PM conduziu Eliot ao 2º DP de Santo André, onde o delegado informou que nada constava contra o suspeito no sistema da Polícia Civil, orientando os militares a levá-lo até a sede da Polícia Federal.

Como não havia mandado de prisão contra o acusado na Polícia Federal nem seu nome  constava na lista de procurados da Interpol, os policiais levaram o preso até o Consulado Geral da Bolívia, na Vila Mariana.

Eliot foi entregue pelos policiais militares ao cônsul da Bolívia e aguarda numa cela improvisada a chegada de policia do país, que deverá transferi-lo a La Paz no primeiro voo desta sexta-feira (26), por volta das 14h

Evo Morales fala da prisão

O presidente boliviano voltou a se pronunciar por meio da sua conta pessoal no Twiter parabenizando policias bolivianos pela captura do fugitivo, embora a prisão tenha sido feita pela polícia paulista. "Felicitamos a polícia pela captura de Ellitor Leon em Brasil, principal suspeito do horrendo assassinato de Carla e Jesús, dois jovens cujas vidas foram injustamente roubadas. Reiteramos nossa solidariedade a suas famílias e exigimos uma sentença exemplar."

O presidente Evo Morales celebra a prisão

O presidente Evo Morales celebra a prisão

Reprodução

Fuga

Grávida de 7 meses, Priscila disse ao R7 que, na noite de Ano Novo, ela foi dormir e, no dia seguinte, o marido não estava em casa.

Na manhã do dia 5 de janeiro, Eliot avisou que viajariam ao Brasil porque tinha conseguido um trabalho. Viajaram até a fronteira com o Brasil, em Puerto Suarez, onde permaneceram dois dias por conta de uma greve. No dia 8, atravessaram a fronteira.

O casal, acompanhado da filha, chegou ao terminal rodoviário da Barra Funda na última quinta feira (18) e, assim que desembarcaram, Eliot abandonou a mulher e a filha.

Com a ajuda de outros bolivianos, Priscila conseguiu entrar em contato com familiares que moram no Brasil, que a socorreram. Até esse momento, ela desconhecia os crimes que o marido tinha cometido.

Mas o crime foi amplamente noticiado pela imprensa boliviana e repercutido nas redes sociais, onde foi publicada a foto de Eliot e Priscila, além das fotos das vítimas.

Ao saber do crime, Priscila pediu ajuda ao consulado da Bolívia em São Paulo, que conseguiu enviá-la de volta a La Paz na tarde de terça-feira (22) — assista ao vídeo abaixo.

O presidente Evo Morales chegou a se pronunciar por meio da sua conta no Twitter: “Muito consternado pela confirmação e circunstâncias em que foram encontrados os corpos de Carla Bellot e Jesús Cañisaire. Toda nossa solidariedade a seus familiares. Que se investigue, se apreenda e sancione drasticamente os autores de este crime com todo o peso da lei".