Internacional Michelle Bachelet não buscará segundo mandato como comissária de Direitos Humanos da ONU

Michelle Bachelet não buscará segundo mandato como comissária de Direitos Humanos da ONU

Ex-presidente do Chile não deu mais detalhes sobre sua decisão de não permanecer na entidade após agosto

AFP
Resumindo a Notícia
  • Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos não disputará 2º mandato

  • Michelle Bachelet não disse mais nada sobre os motivos de sua decisão

  • EUA e ONGs a acusaram de ter uma posição muito tolerante com a China

  • Bachelet foi a primeira mulher a assumir a presidência do Chile

Bachelet permanece no cargo até o próximo mês de agosto

Bachelet permanece no cargo até o próximo mês de agosto

Fabrice Coffrini/AFP - 13.06.2022

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, a chilena Michelle Bachelet, anunciou nesta segunda-feira (13), em Genebra, que não disputará o segundo mandato.

"Como meu mandato de Alta Comissária chega ao fim, a 50ª sessão do Conselho será a última em que me expresso", disse a ex-presidente chilena, de 70 anos, ao Conselho de Direitos Humanos em Genebra.

Bachelet não disse mais nada sobre os motivos de sua decisão. Até agora, e levando em consideração que seu mandato termina no final de agosto, ela não havia revelado sua intenção.

Michelle Bachelet — a primeira mulher a assumir a presidência do Chile, vítima de torturas — foi nomeada Alta Comissária pelo secretário-geral da ONU em 2018.

Recentemente, ela foi alvo de duras críticas dos Estados Unidos e de ONGs como Human Rights Watch e Anistia Internacional, que a acusaram de ter uma posição muito tolerante diante das violações dos direitos humanos na China.

Últimas