Internacional Ministério do Interior da Rússia confirma que investiga caso Navalny

Ministério do Interior da Rússia confirma que investiga caso Navalny

Polícia disse ter feito varredura em quarto de hotel em que opositor se hospedou e outros lugares por onde ele passou antes de passar mal em voo

  • Internacional | Da EFE

Polícia começa a investigar envenenamento de Navalny

Polícia começa a investigar envenenamento de Navalny

Reuters/Maxim Shemetov/24-09-18

A direção regional da Sibéria do Ministério do Interior da Rússia confirmou nesta quinta-feira (27) ter iniciado no último dia 20 uma investigação prévia sobre o suposto envenenamento de Alexei Navalny, uma das principais lideranças da oposição ao presidente do país, Vladimir Putin.

Leia mais: Alexei Navalny: quem é o líder opositor russo hospitalizado por suspeita de envenenamento

"Foram requisitados mais de 100 objetivos que possam servir como provas. Foram analisados os dados de câmeras de vigilância. O departamento de criminalística faz mais de 20 averigações", aponta a entidade, indicando que a atuação é, inclusive, nas áreas de medicina legal, biologia e físico-química.

Segundo a polícia, até o momento, foi feita uma varredura no quarto de hotel em que Navalny ficou hospedado antes de apresentar sinais de envenenamento, além de outros lugares por onde o político passou nos dias anteriores.

A direção regional siberiana do Ministério do Interior, em comunicado, indicou que, após a análise de provas, até o momento, não foi detectada nenhuma substância de "ação forte ou narcótica", que poderia ter levado ao envenenamento do líder opositor.

Além disso, Vladimir Uglev, que é um dos desenvolvedores do Novichok, agente neurotóxico que foi apontado como suposta substância usada em Navalny, descartou o uso no político.

"Em muitos veículos de comunicação, especialistas e pseudo expecialistas dizem que envenenaram Navalvny com uma substância tóxica neuroparalítica de combate. Do meu ponto de vista, é improvável", segundo declarações colhidas pela agência de notícias "Interfax".

Uglev explicou que esse tipo de substância tem um efeito momentânea, de cerca de 10 minutos após o contato.

"Navalny estaria morto, sentado na mesma mesa onde tomou o chá", explicou um dos desenvolvedores do Novichok.

O suposto envenenamento

No último dia 20, o líder opositor, de 44 anos, se sentiu mal a bordo do avião que voltava de Moscou, proveniente da Sibéria. A aeronave precisou fazer pouso de emergência, onde foi internado inconsciente em um hospital local.

O político entrou em coma e, no último sábado, acabou sendo transferido para Berlim, na Alemanha, a pedido de familiares e aliados.

Últimas