Mississipi vai retirar símbolo dos Estados Confederados de bandeira

O governador republicano do estado, Tate Reeves, disse no sábado que assinaria a lei se as casas legislativas aprovassem, o que aconteceu hoje

Emblema dos Estados Confederados representa aqueles que a favor da escravidão

Emblema dos Estados Confederados representa aqueles que a favor da escravidão

Divulgação/ Wikimedia Commons

Os legisladores do Mississippi votaram para remover um símbolo dos Estados  Confederados da bandeira do estado, o mais recente símbolo do racismo a cair em meio aos protestos contra o racismo e o assassinato policial de George Floyd, um negro, em Minnesota.

Leia mais: Como o debate sobre reparações pela escravidão voltou a ganhar força nos EUA

Ambas as casas da legislatura votaram neste fim de semana para remover o símbolo e nomear um um grupo para desenhar uma nova bandeira, de acordo com a mídia local. O governador republicano do estado, Tate Reeves, disse no sábado que assinaria a lei se a legislatura aprovasse.

"Estamos melhores hoje do que ontem", disse o presidente da Câmara, Philip Gunn, autor do projeto que foi aprovado no domingo, à organização sem fins lucrativos Mississippi Today. "Hoje, o futuro se enraizou no presente. Hoje, nós e o resto da nação podemos olhar para o nosso estado com novos olhos, com orgulho e esperança", disse Gunn.

No século 19, os estados do sul, diante da perspectiva de abolir a escravidão, formaram a Confederação e se separaram dos Estados Unidos, levando à Guerra Civil de 1861-1865.

Os símbolos da rebelião fracassada foram erguidos em todo o sul durante os anos de segregação racial e violência conhecida como Jim Crow, e apesar dos anos de progresso e direitos civis dos negros americanos, muitos estados resistiram a removê-los.

Mas depois que um vídeo mostrando um oficial branco pressionando fatalmente o joelho no pescoço de Floyd por quase nove minutos provocou indignação que enviou dezenas de milhares de americanos de todas as origens éticas às ruas durante semanas de protestos, símbolos confederados foram caindo.

"A discussão sobre a bandeira de 1894 se tornou tão divisória quanto a própria bandeira e é hora de encerrá-la", publicou Reeves no sábado. "Se eles me enviarem o projeto neste fim de semana, eu assino."

O Walmart disse na terça-feira que não exibirá mais a bandeira em suas lojas, consistente com sua decisão de não vender mercadorias com a bandeira confederada de lojas e sites on-line.