Internacional Multidão protesta contra o governo em Belarus; centenas são detidos

Multidão protesta contra o governo em Belarus; centenas são detidos

Protesto semanal contra o presidente Alexander Lukashenko levou multidão às ruas da capital, Minsk, e novamente houve repressão policial

Reuters - Internacional
Manifestantes ocupam o centro de Minsk em protesto contra Lukashenko

Manifestantes ocupam o centro de Minsk em protesto contra Lukashenko

Stringer via Reuters - 6.12.2020

Milhares de manifestantes marcharam na capital, Minsk, e em outros locais de Belarus, neste domingo (6), mantendo os protestos semanais que pedem a renúncia do presidente Alexander Lukashenko, e levando a polícia a deter mais de 300 pessoas.

Leia também: Protestos em Belarus: 'Fui preso e agredido por distribuir rosas'

Belarus, país com 9,5 milhões de pessoas que a Rússia vê como uma barreira de proteção contra a OTAN, tem sido agitada por protestos em massa desde a eleição presidencial de 9 de agosto, que Lukashenko afirma ter vencido.

Seus adversários alegam que a votação foi manipulada e querem que ele renuncie.

A maioria dos manifestantes marchou em áreas residenciais e remotas da capital, batendo palmas, cantando “vida longa a Belarus” e agitando bandeiras brancas com uma faixa vermelha no meio, símbolo da oposição.

“Isto (protesto) funciona porque é impossível governar o país quando a maioria não o aceita. Com os protestos, estamos mostrando que estamos na maioria”, disse uma das manifestantes, Alisa, 21.

Sem diálogo com Lukashenko

Lukashenko, que está no poder há 26 anos, minimizou a magnitude dos protestos, dizendo que eles são patrocinados pelo Ocidente, e mostrou poucos sinais de disposição para começar um diálogo com a oposição.

Veículos militares e canhões de água foram vistos nas ruas de Minsk, neste domingo, enquanto homens uniformizados, muitos usando capacetes, agarraram pessoas em roupas civis, disse uma testemunha e mostraram vídeos publicados nas redes sociais.

Apenas em Minsk, a polícia deteve mais de 300 pessoas acusadas de “violar as leis de eventos em massa”, teria dito o ministério do Interior de Belarus segundo a agência de notícias TASS.

O presidente russo Vladimir Putin pediu que as forças políticas de Belarus tentem resolver as diferenças por meio de diálogos e também afirmou que a ex-república Soviética, aliada próxima de Moscou, enfrentava uma interferência sem precedentes de forças externas.

O apoio da Rússia é visto como vital para as chances de Lukashenko de se manter no poder e suas declarações são analisadas de perto por mudanças de tom ou quaisquer sinais de que Moscou possa estar pressionando por algum tempo de transição de poder controlada.

Últimas