Internacional Protestos contra governo de Belarus têm saldo parcial de 140 prisões

Protestos contra governo de Belarus têm saldo parcial de 140 prisões

Dezenas de manifestantes foram detidos por policiais encapuzados durante nova leva de protestos contra o presidente Alexander Lukashenko

Policiais encapuzados prendem manifestantes durante protesto em Minsk

Policiais encapuzados prendem manifestantes durante protesto em Minsk

Stringer / Reuters - 15.11.2020

Novos protestos contra o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, foram realizados neste domingo (15) na capital do país, Minsk, e diversas outras cidades, e resultaram na prisão de ao menos 140 pessoas, segundo indicam ativistas locais.

Leia também: Belarus autoriza polícia a usar armas em manifestações

De acordo com a ONG Vesná, o balanço de detidos era até às 14h30 local (8h30 de Brasília), e os números podem aumentar ao longo do dia.

Já o site de notícias independente "TUT.by" indica que muitas pessoas ficaram feridas em Minsk, depois que agentes das forças de segurança iniciaram processo de dispersão e protesto, utilizando bombas e efeito moral.

No último domingo, as manifestações anti-governo em Belarus levaram mais de mil pessoas para a prisão, ainda de acordo com ONGs que acompanham os atos.

Revolta contra Lukashenko

Desde 9 de agosto, quando Lukashenko, que está no poder há 26 anos, foi declarado vencedor das eleições presidenciais, parte da população bielorrussa está indo às ruas em Minsk e outras cidades, para exigir a renúncia do chefe de governo.

A líder da oposição, Sviatlana Tsikhanouskaya, que está exilada, lançou uma mensagem pelo aplicativo Telegram, para se manifestar sobre os novos atos contra o governo.

"Meu apoio para que todos participem das passeatas", escreveu.

Tsikhanouskaya completou a convocação, lembrando que os protestos eram por liberdade e também pelo direto à vida, em lembrança a Roman Bondarenko, jovem que morreu após ser agredido por agentes das forças de segurança locais.

Últimas