Rússia x Ucrânia

Internacional 'Não se pode permitir que Putin ganhe', diz Otan ao reafirmar apoio à Ucrânia na guerra

'Não se pode permitir que Putin ganhe', diz Otan ao reafirmar apoio à Ucrânia na guerra

Vitória da Rússia no conflito 'também nos tornaria mais vulneráveis aos aliados da Otan', afirma o secretário-geral da organização

Agência EFE

Resumindo a Notícia

  • O secretário-geral da Otan disse que a aliança manterá o apoio militar à Ucrânia
  • A ajuda dos aliados coloca a Ucrânia em melhor posição para negociar o fim da guerra
  • Jens Stoltenberg fez críticas duras e declarou que a vitória russa seria 'um desastre'
  • Ele não quis fazer uma previsão sobre a duração do conflito
Soldado ucraniano esconde tanque russo com galhos de árvore, na região de Kharkiv

Soldado ucraniano esconde tanque russo com galhos de árvore, na região de Kharkiv

Clodagh Kilcoyne/Reuters - 15.10.2022

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou nesta quarta-feira (26) que os aliados continuarão apoiando a Ucrânia no campo de batalha para que, caso se consiga negociar o fim da guerra com a Rússia, tenham a máxima garantia de que o resultado será “aceitável”.

“A maioria das guerras termina na mesa de negociações. E, ao mesmo tempo, sabemos que o que a Ucrânia pode alcançar na mesa de negociações depende inteiramente da força no campo de batalha", disse Stoltenberg em entrevista coletiva, depois de ter recebido o primeiro-ministro da Romênia, Nicolae Ciuca.

"Temos de reforçar a mão [ucraniana] na mesa de negociações fornecendo apoio militar”, enfatizou ele, acrescentando que “é exatamente isso que os aliados da Otan estão fazendo para maximizar a probabilidade de um resultado que seja aceitável para a Ucrânia".

O político norueguês insistiu que "não se pode permitir que o presidente [da Rússia, Vladimir] Putin ganhe", o que significaria "um desastre, uma tragédia para os ucranianos".

Uma vitória russa na Ucrânia, para Stoltenberg, “também nos tornaria mais vulneráveis aos aliados da Otan”, pois a lição que Putin tiraria de ter invadido a Ucrânia seria “que ele pode alcançar seus objetivos usando a força militar”.

"Isso seria uma lição aprendida não só por ele, mas também por outros líderes autoritários ao redor do mundo", enfatizou.

O secretário-geral da aliança militar disse que "as guerras são imprevisíveis por natureza". Ele não quis "especular quanto tempo a atual vai durar", embora tenha deixado claro que os países membros estão "dispostos a apoiar a Ucrânia pelo tempo que for necessário".

Últimas