Internacional Naufrágio deixa cerca de 40 imigrantes mortos na costa da Itália

Naufrágio deixa cerca de 40 imigrantes mortos na costa da Itália

Embarcação estava com até 250 pessoas e se partiu ao meio depois que uma onda atingiu o casco; recém-nascido está entre as vítimas

  • Internacional | Do R7, com AFP

Cerca de 40 pessoas morreram em decorrência de um naufrágio na costa da Itália

Cerca de 40 pessoas morreram em decorrência de um naufrágio na costa da Itália

Polícia da Itália/Reuters – 26.02.2023

Cerca de 40 migrantes, entre eles um bebê de poucos meses, morreram em consequência do naufrágio do barco em que estavam, não muito longe da cidade italiana de Crotone, na Calábria, sul da Itália, informou a mídia local neste domingo (26).

Os bombeiros italianos confirmaram, via Twitter, que recuperaram 28 corpos e outros três foram arrastados pelas correntes marítimas. Por outro lado, aproximadamente 40 pessoas foram resgatadas do mar, segundo a mesma fonte.

Segundo a mídia italiana, havia entre 150 e 250 pessoas no navio. De acordo com um primeiro balanço divulgado pela imprensa local, houve 27 óbitos.

Consultada pela agência AFP, a guarda costeira italiana não respondeu de imediato.

Segundo a agência AGI, o barco migrante com excesso de peso quebrou em dois como resultado de uma grande onda. Entre as vítimas encontra-se "um recém-nascido de poucos meses", segundo a mesma fonte, citando um bombeiro que participa nos trabalhos de resgate.

Este novo naufrágio ocorre poucos dias após a aprovação no Parlamento italiano das polêmicas novas regras sobre o resgate de migrantes promovidas pelo governo de extrema direita.

A primeira-ministra Giorgia Meloni, líder do partido de extrema direita Fratelli d'Italia (FDI), chegou ao poder em outubro em uma coalizão depois de prometer reduzir o número de imigrantes que chegam à Itália.

A nova lei obriga os navios humanitários a realizar apenas um resgate por viagem ao mar, o que, segundo os críticos, aumenta o risco de mortes no Mediterrâneo central, considerada a viagem mais perigosa do mundo para os migrantes.

Últimas