Internacional Nicarágua cancela reforma da Previdência após dias de protestos

Nicarágua cancela reforma da Previdência após dias de protestos

Manifestações marcam repúdio ao plano de aumentar as contribuições dos trabalhadores. Protestos deixaram ao menos oito mortos

Protesto Nicarágua

Protestos deixaram ao menos oito mortos

Protestos deixaram ao menos oito mortos

Reuters/Oswaldo Rivas/22.4.2018

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, disse que um plano de reforma da Previdência que provocou dias de protestos fatais foi cancelado no domingo (22), na tentativa de acabar com a maior crise de seu governo.

Ortega está na defensiva desde que as manifestações tiveram início na maior parte do país na quarta-feira em repúdio ao plano de aumentar as contribuições dos trabalhadores para o sistema previdenciário e reduzir as pensões.

Os tumultos que se seguiram deixaram ao menos oito mortos e desencadearam saques e corridas às compras, mas os protestos diminuíram consideravelmente em Manágua após o anúncio de Ortega, segundo testemunhas da Reuters. Ao menos uma marcha estava planejada para esta segunda-feira.

O papa, o governo dos Estados Unidos e líderes empresariais pediram ao líder nicaraguense que detenha a violência antes de fazer um pronunciamento na televisão e dizer que as medidas aprovadas na semana passada foram retiradas.

"A resolução anterior de 16 de abril de 2018, que foi a resolução que provocou toda esta situação, está sendo revogada, cancelada, posta de lado", afirmou Ortega.

O governo argumentou que as mudanças previdenciárias são necessárias para reforçar as finanças da nação, e Ortega disse que haverá conversas para elaborar um novo plano para fortalecer o sistema de segurança social.

Mas o governo foi abalado pelos protestos, que um grupo de direitos humanos disse ter cobrado ao menos 25 vidas. Lojas de Manágua foram saqueadas durante o final de semana, disseram testemunhas da Reuters.

Na noite de sábado, a mídia local noticiou que um repórter foi morto a tiros durante uma transmissão ao vivo de Bluefields, cidade do litoral caribenho atingida por tumultos. Imagens explícitas do incidente logo se espalharam pela mídia local e pelas redes sociais.

A repressão policial aos manifestantes e as restrições à imprensa vistas nos últimos dias incitaram ainda mais críticas a Ortega, que intensificou seu controle sobre as instituições desde que voltou ao poder pela segunda vez 11 anos atrás.

No domingo o Departamento de Estado dos EUA pediu um "diálogo de base abrangente" para encerrar a disputa e "restaurar o respeito" pelos direitos humanos, pedindo ao governo que deixe a mídia operar livremente.