No centro de escândalo do Nobel, Arnault é condenado por estupro

Tribunal da Suécia declarou Jean-Claude Arnault culpado em um dos dois casos em julgamento. Ele foi diretor artístico da Academia Sueca

Condenado por estupro, Arnault sai de tribunal na Suécia

Condenado por estupro, Arnault sai de tribunal na Suécia

Janerik Henriksson / TT News Agency via Reuters / 1.10.2018

Um tribunal sueco condenou por estupro, nesta segunda-feira (1), Jean-Claude Arnault, o homem que está no centro de um escândalo que abalou a academia que concede o Prêmio Nobel de Literatura, o sentenciando a dois anos de prisão.

As acusações contra Arnault fizeram com que membros da Academia Sueca renunciassem e obrigaram a organização a cancelar o prêmio de literatura deste ano, que seria anunciado neste mês.

Esse é o maior escândalo a atingir a academia desde sua fundação pelo rei sueco há mais de 200 anos.

Arnault, de 72 anos, se declarou inocente de duas acusações de estupro em uma corte de Estocolmo, que o absolveu de uma das alegações.

O advogado de Arnault, Bjorn Hurtig, não estava disponível de imediato para comentar.

Diretor artístico da Academia Sueca

Arnault, que é casado com uma integrante da Academia Sueca e trabalhou como fotógrafo profissional e diretor artístico, disse não ser a fonte dos vazamentos dos nomes de alguns vencedores anteriores do prêmio.

Como o número de membros da Academia foi reduzido a 10 e os estatutos dizem que 12 são necessários para escolher novos integrantes, a ex-secretária permanente Sara Danius e dois outros ex-membros se disseram dispostos a participar de votações importantes, como preencher as cadeiras vagas.

A Fundação Nobel pode impedir a Academia Sueca de conceder o prestigioso prêmio de literatura se a organização não fizer outras mudanças após o escândalo sexual, disse o chefe da fundação à Reuters na sexta-feira.

O veredicto coincide com os anúncios do Prêmio Nobel deste ano.