Rússia x Ucrânia

Internacional ONU escolherá substituto da Rússia no Conselho de Direitos Humanos

ONU escolherá substituto da Rússia no Conselho de Direitos Humanos

Segundo as Nações Unidas, um outro país do Leste Europeu deve assumir o assento russo na comissão para assuntos humanitários

AFP
Rússia foi suspensa do Conselho de Direitos Humanos da ONU no início de abril

Rússia foi suspensa do Conselho de Direitos Humanos da ONU no início de abril

Andrea RENAULT / AFP

A Assembleia Geral da ONU elegerá "nas próximas semanas" o substituto da Rússia, destituída no início de abril, no Conselho de Direitos Humanos, informou nesta sexta-feira (22) o presidente da comissão, Federico Villegas.

Durante uma coletiva de imprensa, Villegas explicou que o país eleito virá do Leste Europeu, embora não tenha especificado se os candidatos já foram apresentados.

Devido à invasão da Ucrânia, a Assembleia Geral da ONU suspendeu a Rússia em 7 de abril do Conselho de Direitos Humanos, com sede em Genebra. Moscou decidiu então liberar seu assento que tinha até 2023, assumindo assim o status de observador, o que lhe permitirá continuar tomando a palavra durante as sessões, disse Villegas.

O Conselho de Direitos Humanos (com 47 membros) é o principal fórum das Nações Unidas sobre o assunto. Entre outras tarefas, deve revisar periodicamente a situação dos direitos humanos nos países membros da ONU.

Também pode abordar quaisquer questões urgentes durante reuniões excepcionais, como foi o caso na Ucrânia, apesar da oposição de Moscou.

De acordo com diplomatas, na semana passada a Rússia sofreu, também por causa da invasão da Ucrânia, quatro derrotas em eleições para órgãos da ONU organizadas pelo Conselho Econômico e Social de 54 membros.

Moscou era candidata a cargos nos Conselhos de Administração do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e da ONU Mulheres, além de representação no Fórum Permanente sobre Questões Indígenas e no Comitê da ONU responsável pelas Organizações Não Governamentais.

Mas, no último minuto, novas candidaturas vieram de países do Leste Europeu, disse à AFP um diplomata que pediu anonimato, e em todos os casos a Rússia foi derrotada.

No Fórum Permanente sobre Questões Indígenas, foi a Ucrânia que conquistou a vaga. Moscou foi deixada de fora de algumas dessas instâncias pela primeira vez.

Últimas