Rússia x Ucrânia

Internacional Otan diz que tropas russas estão se reposicionando e não recuando

Otan diz que tropas russas estão se reposicionando e não recuando

Soldados estariam sendo retirados dos arredores da capital Kiev para serem concentrados em Donbas, no leste da Ucrânia

Agência EFE
Otan diz que as tropas russas estão sendo concentradas em Donbass

Otan diz que as tropas russas estão sendo concentradas em Donbass

EFE/EPA/SERGEI ILNITSKY

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou nesta quinta-feira que a Rússia não está retirando as tropas do cerco à Kiev para concentrá-las no Donbas, no leste da Ucrânia, como havia sido anunciado pelo Kremlin, mas sim, está "reposicionando" as unidades.

O norueguês reconheceu que a Aliança está ciente das declarações recentes de Moscou, de que "reduzirá suas operações militares em torno de Kiev e no norte da Ucrânia".

"Mas, a Rússia mentiu repetidamente sobre suas intenções, assim como só podemos julgar a Rússia por suas ações, não por suas palavras", garantiu Stoltenberg.

"Segundo nossa inteligência, as unidades russas não estão se retirando, mas sim se reposicionando", completou o secretário-geral da Otan.

O norueguês ainda indicou que Moscou "está tentando reagrupar, reabastecer e reforçar a ofensiva na região do Donbas".

"Ao mesmo tempo, a Rússia mantém pressão sobre Kiev e outras cidades, assim, podemos esperar ações ofensivas adicionais, que gerarão, inclusive, mais sofrimento. A Rússia deve terminar essa guerra sem sentido, retirar as tropas e se envolver em conversações de boa fé", afirmou.

Sobre as negociações entre as delegações russa e ucraniana, que vêm acontecendo na Turquia, Stoltenberg exaltou "todos os esforços para colocar fim à esta guerra brutal".

Ao mesmo tempo, o secretário-geral da Otan admitiu que "vemos pouca vontade do lado russo para encontrar uma solução política".

"O que vemos é uma invasão militar continuada da Ucrânia, que seguem os bombardeios às cidades e que a Rússia está reposicionando algumas tropas, movimentando-as para reforçar os esforços na região do Donbas", detalhou.

Stoltenberg também destacou que os aliados da Otan respaldaram o exército ucraniano durante anos, proporcionando "equipamentos modernos, diferentes tipos de armas e apoiando a modernização", o que permitiu que as tropas estivessem "melhor preparadas e treinadas do que nunca".

Além disso, o secretário-geral da Otan elogiou o compromisso dos militares da Ucrânia, o que permitiu com que resistissem à invasão russa".

"Impressionaram e inspiraram o mundo", disse Stoltenberg.

O norueguês concluiu dizendo existir um "vínculo próximo entre o que acontece no campo de batalha e o que acontece na mesa de negociação, e que os aliados da Otan também estão dando apoio para reforças a posição na mesa de negociação".

Últimas