China

Internacional Pequim faz novos testes em massa após surto de covid em bar

Pequim faz novos testes em massa após surto de covid em bar

Governo chinês mantém sua política de tolerância zero com a doença e volta a estabelecer restrições

AFP
Pessoas fazem fila para serem testadas em Pequim, nesta segunda (13)

Pessoas fazem fila para serem testadas em Pequim, nesta segunda (13)

Noel Celis/AFP - 13.06.2022

As autoridades chinesas lançaram nesta segunda-feira (13) novos testes em massa no bairro mais populoso do centro de Pequim, após um surto de covid-19 em um bar da capital que levou à imposição, mais uma vez, de várias restrições.

O governo chinês aplica uma política "covid zero" para combater a propagação do coronavírus, a qual implica quarentenas para pessoas positivas para covid-19, confinamentos e testes obrigatórios de PCR. 

Essa política exige importantes recursos logísticos, humanos e econômicos, sobretudo, diante da variante ômicron, que se espalhou rapidamente pela China em março e abril. Começou a perder força nas últimas semanas. 

Poucos dias depois de reabrir seus restaurantes, bares e academias, as autoridades de Pequim, onde vivem 22 milhões de pessoas, registraram um novo surto.

As autoridades relataram que, na semana passada, um morador foi a várias casas noturnas do distrito central de Chaoyang sem apresentar um teste de PCR válido, antes e depois de ter tido febre. 

Este surto, ligado a um bar específico, provocou o contágio de pelo menos 183 pessoas.

Como resultado, as autoridades voltaram a ordenar o fechamento de bares, boates e karaokês em vários bairros, incluindo Chaoyang. E adiou a reabertura das escolas, prevista para acontecer nesta segunda-feira. 

Hoje, o distrito de Chaoyang, que abriga lojas de luxo, escritórios e embaixadas, lançou testes em massa para seus 3,5 milhões de habitantes e milhões de funcionários. Todos terão de se submeter a três testes de PCR em três dias. 

Em Xangai, mais da metade de seus 25 milhões de pessoas teve de fazer um teste obrigatório neste fim de semana, menos de duas semanas depois de sair de um longo confinamento. O Ministério chinês da Saúde anunciou 143 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas no país.

Últimas