Internacional Polícia da Guatemala resgata 126 pessoas em contêiner abandonado

Polícia da Guatemala resgata 126 pessoas em contêiner abandonado

Autoridades guatemaltecas informaram que 106 migrantes resgatados são do Haiti, 11 do Nepal e outros nove de Gana

AFP
Migrantes pediam socorro e batiam em contêiner após terem sido abandonados

Migrantes pediam socorro e batiam em contêiner após terem sido abandonados

Reprodução Twitter/Polícia Nacional da Guatemala

A polícia guatemalteca resgatou 126 migrantes neste sábado (9), na maioria haitianos, que foram abandonados dentro de um contêiner no sul do país enquanto tentavam cruzar para o México e chegar aos Estados Unidos, informou a instituição.

Os migrantes foram localizados na madrugada após "uma denúncia sobre um trailer abandonado" em uma rodovia entre as cidades de Nueva Concepción e Cocales, disse a jornalistas o porta-voz da Polícia Nacional Civil, Jorge Aguilar.

No local, havia um caminhão com um contêiner onde "foram encontrados 126 indocumentados", acrescentou. “Ouvimos gritos e batidas dentro do contêiner. Abrimos as portas e encontramos no interior 126 pessoas sem documentos: 106 do Haiti, 11 do Nepal e nove de Gana”.

Fotografias divulgadas pela polícia mostraram migrantes saindo da van com mochilas ou sentados na estrada. O grupo foi levado a um abrigo do Instituto de Migração da Guatemala.

A região, onde milhares de guatemaltecos, hondurenhos, salvadorenhos e nicaraguenses emigram para os Estados Unidos todos os anos, também enfrenta uma crise migratória devido à passagem de uma onda de milhares de migrantes, principalmente haitianos, rumo aos EUA em busca de melhores oportunidades, apesar da jornada perigosa e exaustiva.

Mais de cinquenta migrantes morreram no Panamá este ano enquanto tentavam cruzar a área da selva de Darién, na fronteira com a Colômbia, informou esta semana um funcionário da promotoria panamenha.

Na sexta-feira (8), a OIM (Organização Internacional para as Migrações) disse que mais de 7.500 migrantes haitianos foram expulsos em menos de três semanas pelos Estados Unidos, que fretaram 70 voos para deportá-los.

Últimas