Polícia prende suspeito de matar brasileira a facadas na Itália

Manuela foi morta com mais de 50 golpes de faca; polícia diz que suspeito era cliente habitual da transexual, que trabalhava como garota de programa

Polícia diz que suspeito era cliente habitual da brasileira

Polícia diz que suspeito era cliente habitual da brasileira

Andrea Fasani / EFE-EPA - 24.4.2020

A Arma dos Carabineiros da Itália prendeu nesta sexta-feira (24) um homem de 42 anos suspeito de assassinar uma mulher transexual brasileira em Milão, no norte do país.

O corpo de Manuela, oficialmente Emanuel Alves Rabacchi, 48, foi encontrado no último dia 20 de julho, em um apartamento na capital da Lombardia. A vítima estava seminua.

O suspeito, cujo nome não foi divulgado, é acusado de ter desferido mais de 50 facadas na transexual e de ter deixado o gás da cozinha aberto na tentativa de provocar uma explosão e apagar as provas do crime.

A brasileira vivia na Itália havia pelo menos quatro anos e trabalhava como garota de programa. O homem preso nesta sexta-feira era um cliente habitual de Manuela e foi identificado graças a câmeras de segurança situadas fora da casa da vítima.

O suspeito tinha passagens pela polícia por dirigir embriagado e foi interrogado, mas permaneceu em silêncio. Uma operação de busca na casa do homem encontrou a faca supostamente usada no homicídio e um par de sapatos aparentemente manchados de sangue.

A hipótese dos investigadores é de que o crime pode ter sido motivado por uma dívida de 500 euros do suspeito com a vítima. "Ainda estamos em fase de aprofundamentos para entender a natureza dessa dívida. Ele consumia drogas com ela, talvez mantivessem relações, mas não sabemos ao que estaria ligado o débito", disse a procuradora-adjunta Laura Pedio.