Rússia x Ucrânia

Internacional Polônia prevê 'situação difícil' se não receber ajuda para refugiados

Polônia prevê 'situação difícil' se não receber ajuda para refugiados

Cerca de 2 milhões de pessoas que fugiram da Ucrânia nas últimas três semanas escolheram o país vizinho como destino

Agência EFE
Presidente da Polônia, Andrzej Duda, durante encontro com autoridades dos EUA

Presidente da Polônia, Andrzej Duda, durante encontro com autoridades dos EUA

Janek Skarzynski/AFP - 10.3.2022

O presidente da Polônia, Andrzej Duda, advertiu nesta quarta-feira (16) que seu país estará em "situação difícil" se não receber ajuda internacional para atender os quase 2 milhões de refugiados que chegaram fugindo da invasão russa.

"Esta é uma crise de refugiados. Peço ajuda às organizações internacionais e aos Estados. Caso contrário, nós nos encontraremos em situação muito difícil", disse Duda em entrevista coletiva em Ancara, onde se encontrou nesta quarta com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, para falar sobre a situação na Ucrânia.

Duda destacou que cerca de 100 mil pessoas atravessam diariamente a fronteira da Ucrânia com a Polônia, aonde, segundo o Acnur (Alto-Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), 1,8 milhão de pessoas chegaram desde que a Rússia lançou seu ataque, no dia 24 de fevereiro.

Os dois presidentes enfatizaram nesta quarta-feira a necessidade do fim imediato da guerra.

"Concordamos em continuar as negociações diplomáticas intensivas para acabar com a guerra", disse Erdogan, na entrevista coletiva conjunta.

O presidente turco afirmou que seu país acolheu um grande número de refugiados de conflitos, como o da Síria nos últimos anos, e assegurou que entende perfeitamente a situação na Polônia.

Os mandatários disseram que voltarão a se encontrar na cúpula que a Otan, da qual os dois países são membros, realizará no próximo dia 24.

Últimas