Por protestos, Chile cancela duas cúpulas internacionais no país

Encontro da Apec, que reuniriam 20 líderes de países do Pacífico, e a COP-25, sobre mudanças climáticas, aconteceriam em novembro e dezembro

Chile registra protestos nas ruas há 13 dias

Chile registra protestos nas ruas há 13 dias

Ivam Alvarado/Reuters

O governo do Chile anunciou, nesta quarta-feira (30), que o país não será mais o anfitrião do encontro da Apec (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico) e da COP-25 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019) devido à recente onda de protestos contra a desigualdade social que já toma as ruas da nação sul-americana há 13 dias.

"Esta foi uma decisão muito difícil, uma decisão que nos causa muita dor, porque entendemos perfeitamente a importância da Apec e da COP-25 para o Chile e para o mundo", disse o presidente Sebastián Piñera em um breve discurso.

A cúpula da Apec estava programada para reunir vinte líderes mundiais, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente da China, Xi Jinping, em 16 e 17 de novembro.

A COP-25 previa atividades entre 2 e 13 de dezembro.

Surpresa na Casa Branca

O cancelamento da cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) em novembro pegou o governo dos Estados Unidos de surpresa, afirmou à Reuters uma autoridade da Casa Branca.

O funcionário disse que Washington soube da decisão pela imprensa e está buscando mais informações.